Justiça nega recurso da Fundação Palmares contra decisão que afasta Camargo da gestão de pessoal do órgão

APOIE O NOTÍCIA PRETA

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 10ª Região negou a solicitação de suspensão do afastamento de Sergio Camargo da gestão pessoal da Fundação Palmares. Com a decisão, o desembargador do trabalho Brasilino Santos Ramos, presidente do TRT-10, reafirma a primeira decisão em que Camargo não pode nomear e exonerar servidores.

O requerimento da suspensão foi feito pela Fundação Palmares, segundo o documento enviado à justiça, a decisão de afastamento de Sérgio Camargo desta função fere a ordem administrativa e prejudica as políticas da instituição.

Sergio Camargo segue afastado da Fundação Palmares. Foto: Sérgio Lima/Poder360…

De acordo com a sentença do Tribunal Regional do Trabalho, o requerimento da Fundação Palmares não possui provas concretas que leve a justiça suspender o afastamento. “Constata-se que a parte não comprova, de forma irrefutável, em que sentido a ordem pública administrativa está a ser afetada em razão da medida judicial que determinou o afastamento”, informa a decisão.

Ainda na sentença, Brasilino Santos Ramos, presidente do TRT-10, diz que “havendo elementos iniciais de prova, mesmo que em cognição sumária, de desrespeito à dignidade do trabalhador e, por decorrência, ao trabalho digno, sendo reversível a medida, há de se inibir de forma concreta qualquer conduta que vilipendia a pessoa humana”, finaliza a decisão.

Leia também: Justiça afasta Sérgio Camargo da gestão de pessoal da Fundação Palmares

Sergio Camargo foi afastado da gestão pessoal da Fundação Palmares em 11/10/2021 a pedido do Ministério Público do Trabalho (MPT). Na solicitação o MPT informa que Camargo cometeu os crimes de assédio moral, perseguição ideológica e discriminação contra funcionários.

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.