”Somos mulheres e não mercadoria”, diz Edcléa Santos representando as costureiras de PE à prefeitura do Recife que está oferecendo R$ 1 para cada máscara confeccionada

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a Prefeitura do Recife fez um chamamento público para as costureiras da cidade e está oferecendo R$ 1 para cada máscara de tecido confeccionada pelas profissionais. No edital, a prefeitura também convoca os microempreendedores individuais e estabelece algumas condições para participar do programa como ser maiores de 18 anos e ser residente do município. No entanto, a prefeitura não disponibiliza nenhum material ou respaldo para as trabalhadoras o que causou revolta na categoria.

”Infelizmente temos um governo perverso e quando as pessoas não entendem o racismo estrutural fica muito mais fácil de manipular a população. A prefeitura deveria fornecer maquinário, aviamentos, tecidos e o pagamento justo e não pagar um real por máscara feita por nós e com o nosso material. É querer desqualificar o trabalho das costureiras”, repudiou Edcléa Santos, que faz parte do Grupo Espaço Mulher, que representa as mulheres negras artesãs e costureiras em Pernambuco.

Edcléa Santos repudiou o chamamento público da Prefeitura do Recife “Somos mulher e não mercadoria”. Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

O edital informa que cada costureira credenciada pode fornecer até 1600 máscaras, ou seja ganhar até R$ 1600 por esse trabalho. O sindicato, porém, teme pelo risco de trabalhar sem condições por um mísero retorno.

”É o sistema capitalista oprimindo a classe trabalhadora, é querer bota o povo preto de volta na senzala. Além de botar em risco a vida das mulheres sabendo que essa pandemia é mais letal entre o povo negros. O  problema não é doar as máscaras e sim o desrespeito é querer desqualificar o trabalho das mulheres que não sua maioria são negra. Nós exigimos respeito com o nosso trabalho pague um salário justo. A nossa luta é todo dia somos mulheres e não mercadoria”, pontuou, Edcleia. 

A Rede de Mulheres Negras de Pernambuco foi às redes sociais para repudiar o chamamento público da Prefeitura do Recife. 

”Geraldo Júlio (Prefeito do Recife-PE), não explore as costureiras! A rede de Mulheres Negras de Pernambuco repudia o chamamento público para confecção de máscara de tecido lançado pela Prefeitura do Recife. O pagamento de R$ 1,00 por máscara confeccionada é um absurdo”, diz a publicação feita nas redes sociais.

APOIO-SITE-PICPAY

Thiago Augustto

Um filho negro adotado. Thiago Augustto faz questão de marcar sua existência pela raça e pela oportunidade de viver. Transformou o tabu da adoção num grande motivo de orgulho. É criador de conteúdo e palestrante. Se formou em jornalismo em 2014, desde então, trabalha na TV Globo Recife, atuando como produtor e repórter. No Notícia Preta, é editor e coordena os colaboradores das regiões norte e nordeste. Em 2021, criou o Futuro Black - um banco de talentos e de fontes profissionais pretas.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.