Senado da Nigéria rejeita votação de diáspora e assentos especiais para mulheres

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Via Reuters

O Senado da Nigéria votou nesta terça-feira, 1, para rejeitar mudanças na Constituição para permitir que cidadãos residentes no exterior (diáspora) votem em eleições nacionais, enquanto uma disposição para alocar assentos especiais para mulheres para aumentar sua representação política não foi aprovada.

A esposa do presidente nigeriano Muhammadu Buhari, Aisha Buhari, realiza uma votação enquanto participa da eleição presidencial da Nigéria em um local de votação em Daura, Estado de Katsina, Nigéria, 23 de fevereiro de 2019. REUTERS/Afolabi Sotunde/Foto de arquivo

Os eleitores da nação mais populosa da África irão às urnas para eleger um novo presidente e um parlamento em fevereiro de 2023. As esperanças de que a diáspora da Nigéria participaria foram frustradas quando apenas 29 senadores dos 92 presentes apoiaram a disposição.

Leia também: Nigéria abre inquérito para apurar ataque aéreo que matou 7 crianças no Níger

Para que um projeto de lei constitucional seja aprovado, é necessário o apoio de pelo menos dois terços dos 109 membros do Senado.

A população da diáspora da Nigéria foi estimada em 1,7 milhão a partir de 2020 pelo Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais das Nações Unidas.

Outra disposição para criar assentos especiais para mulheres nas Assembleias Nacional e Estadual foi rejeitada pela maioria dos senadores. Aisha Buhari, esposa do presidente Muhammadu Buhari, apoiou o projeto de lei. O Presidente Buhari deve renunciar após dois mandatos no próximo ano.

As eleições na Nigéria são um indicador de como os homens dominam a política no país de 200 milhões de pessoas. Durante a última eleição, em 2019, 47% dos eleitores registrados eram mulheres, mas ocupam apenas 6,5% dos assentos na Assembleia Nacional.

A Nigéria nunca elegeu uma mulher presidente ou governadora do estado.

O Senado, no entanto, aprovou um projeto de lei para capacitar as Assembleias Nacional e Estadual a convocar o presidente e os governadores estaduais a responder perguntas sobre segurança nacional e outras questões.

APOIO-SITE-PICPAY

Wellington Andrade

Jornalista formado pela FACHA (Faculdades Integradas Hélio Alonso) e pedagogo pela UERJ. Atualmente escreve para o Portal Notícia Preta e atua no segmento de assessoria de imprensa em parceria com a agência Angel Comunicação. Possui passagens por diferentes veículos como repórter, produtor e apurador, dentre eles TVs Record, SBT e Rede Vida de Televisão, além das rádios Bicuda FM, Nativa FM, Tupi AM e FM, Revista Ziriguidum Nota 10 e no portal especializado em Carnaval SRZD, do jornalista Sidney Rezende. Instagram: @reporterwellingtonandrade

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.