São Paulo recebe 3ª edição de evento gratuito em homenagem ao Dia Internacional da África

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Será realizada neste sábado (21) a 3ª edição da Festa Farafina – África e suas múltiplas riquezas artísticas e tecnológicas, que ocorre em alusão ao 25 de maio, Dia Internacional da África. A celebração de abertura está marcada para 21h, na Aparelha Luzia, em São Paulo, e reunirá artistas africanos, imigrantes e refugiados durante uma jam session de cinco horas. A iniciativa também conta com uma série de oficinas culturais que irão ocorrer entre os meses de junho e julho deste ano. 

A Festa Farfina é em homenagem ao Dia Internacional da África – Foto: Divulgação

As duas primeiras edições da Farafina ocorreram entre os anos de 2017 e 2019 sempre considerando como marco a independência dos países africanos das colônias européias. A iniciativa, que neste ano conta com apoio da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, através do edital de Apoio a projetos artísticos culturais descentralizados de múltiplas linguagens, foi criada pela produtora cultural e pesquisadora Kety Kim Farafina, após a mesma retornar de uma imersão de 365 dias nos países de Senegal e Guiné Conacri, países da África Ocidental.

“A Farafina ocorre para que a data não passe despercebida nas cabeças dos nossos povos da diáspora. E, também, para que a gente traga junto com a nossa nova comunidade africana no Brasil a lembrança – muito – boa de que sabemos a importância do 25 de Maio”, resume a idealizadora e pesquisadora, Kety Kim. Implementado em 1963, o Dia Internacional da África celebra ainda a união de 30 representantes de nações africanas que foram recebidos em Adis Abeba pelo imperador da Etiópia, Hailé Selassié, o último governante da dinastia salomônica.

Leia também: Meta lança projeto de realidade aumentada focado na comunidade negra

Sobre as oficinas culturais

Durante as oficinas serão compartilhadas perspectivas, vivências e narrativas sobre o continente africano, que vão desde as possibilidades de intercâmbio entre países, a partir da gastronomia, da poesia, da música, da dança e outras expressões artísticas. Além da pesquisadora Kety Kim, estão à frente dos processos formativos a poeta Débora Garcia, que apresentará seus olhares sobre Moçambique e levará aos participantes suas experiências na África do Sul. As oficinas terão duração de duas horas cada e serão realizadas presencialmente na Ponte cultural.

As oficinas serão realizadas entre os meses de junho e julho deste ano e as inscrições podem ser feitas clicando aqui.

APOIO-SITE-PICPAY

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.