Professora cria projeto para preparar alunos da rede pública para o Enem

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Projeto Gente que Educa busca reduzir a desigualdade socioracial no Brasil

Taynara Silva é professora em Maceió. Foto: Arquivo pessoal

A disparidade entre a educação pública e privada, no Brasil, motivou a professora Taynara Silva a criar o projeto ‘Gente que se Educa’, que oferece aulas on-line gratuitas, com foco no Exame Nacional de Ensino Médio (Enem), a estudantes de escolas públicas. Moradora de Maceió, estado de Alagoas, Taynara revela que a vivência como aluna de escola pública a inspirou. Segundo ela, o projeto busca oportunizar estudantes pretos e pobres. 

“O meu objetivo, quanto idealizadora do projeto Gente que se Educa, é que ele possa colaborar para termos mais gente preta e pobre dentro das universidades”, afirma a educadora. 

A coordenadora pedagógica Carine Alves e a editora chefe Andressa Ferreira integram a equipe, contam com o auxílio de professores e colaboradores voluntários de Alagoas, São Paulo e Pernambuco. O ‘Gente que se Educa’ quer ir além da preparação para o Enem, levando uma educação de qualidade e reflexiva. Quem tiver interesse em colaborar pode entrar em contato através do e-mail: gentequeseeduca@gmail.com

Taynara Silva salienta que o foco é educar como forma de manifesto, onde pode através da educação atuar na luta antirracista e anticlassista. “O trabalho aqui é educar, protestar, reivindicar. Mas também queremos provocar o reconhecimento, o pertencimento de raça e classe”, reforça.

Além das aulas, os educadores também realizam simulados e acompanham o desenvolvimento dos alunos. Ciente de que muitos deles não têm acesso à internet, a equipe distribui material impresso para estudantes alagoanos. A distribuição é feita por intermédio de ONGs parceiras. A cada 4 candidatos do Enem 2019, 3 declararam não ter internet. O número corresponde a 77,6% dos candidatos, 3.954,805 milhões de estudantes, segundo dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP).

Em meio a pandemia da Covid-19 e com milhões de alunos da rede pública sem aula, o Ministério da Educação (MEC) anunciou que as provas do exame serão aplicadas em janeiro e fevereiro de 2021.

APOIO-SITE-PICPAY

Louise Freire

Jornalista e apaixonada por livros. Concluiu sua graduação em 2016 e no mesmo ano estagiou em uma revista. Participou da produção de um programa da TV Brasil e trabalhou como produtora audiovisual.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.