Prestes a lançar seu novo filme, Spike Lee dispara: “É 2020, e pessoas negras ainda estão sendo mortas como animais”

APOIE O NOTÍCIA PRETA

No 12 de junho, Spike Lee vai lançar “Destacamento Blood”, sua nova obra, na Netflix. Na película, o diretor, vencedor do Oscar de melhor filme por Infiltrado na Klan, reafirma sua indignação com os Estados Unidos e pretende mostrar a contribuição de soldados negros americanos na guerra do Vietnã.

Diretor segue com duras críticas ao presidente Donald Trump (Foto: Stephen Lovekin / Shutterstock)

Crítico de longa data de Donald Trump, muito antes deste se tornar presidente dos Estados Unidos, Lee demonstrou toda a sua ira com a política racista instaurada no país. Em entrevista ao NY Times na última quinta-feira (21), o diretor relembrou o caso de Ahmaud Arbery, morto a tiros quando se exercitava pelas ruas da Geórgia.

“É 2020, e pessoas negras e pardas estão sendo mortas como animais. Diga-me onde dois negros com uma pistola e uma espingarda podem seguir um branco em uma caminhonete, matá-lo e só serem presos dois meses depois?”, disparou.

Em meio a tantas críticas feitas ao longo da entrevista, Spike ainda se mostrou preocupado com o momento que o mundo está atravessando devido à pandemia do novo coronavírus. Ele, que costuma colocar a classe trabalhadora como protagonista em seus filmes, tem observado a forma como esses dias têm se desenrolado.

“As pessoas que estão fazendo o trabalho sujo — pessoas no supermercado, bodegas, carteiros — não podem ficar em casa. Eles estão colocando suas vidas em perigo todos os dias apenas para começar a trabalhar. Minha esperança é que aqueles que menosprezaram e demitiram essas pessoas mudem de pensamento, porque essas são as pessoas que mantiveram essa coisa funcionando”, afirmou.

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.