Vereador Renato Freitas (PT),acusado de invadir igreja em Curitiba, é cassado

APOIE O NOTÍCIA PRETA

A cassação do vereador Renato Freitas (PT) foi aprovada nesta quarta-feira (22) por 25 votos a favor, cinco contrários e duas abstenções. A sessão em dois turnos iniciada na terça-feira, deliberou que Renato não seguiu o Código de Ética, exerceu liderança na manifestação, perturbou o culto religioso e realizou ato político dentro da Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos.

Mesmo com a decisão da juíza Patrícia de Almeida, que autorizava a votação somente após  a conclusão do Processo Ético Disciplinar (PED) que apura e-mails racistas enviados da conta institucional de Sidnei Toaldo (Patriota), relator do processo de cassação e nega a acusação, onde continha os seguintes textos: “a câmara dos vereadores de Curitiba não é seu lugar, Renato. Volta para a senzala” e “vamos branquear Curitiba e a região Sul, queira você ou não, seu negrinho”. Com isso, após publicação da resolução no Diário Oficial do Município (DOM), a sentença tem efeito imediato e Renato não será mais vereador da cidade de Curitiba, a defesa pode recorrer na justiça da cassação. 

A manifestação que Freitas participou em 5 de fevereiro de 2022, a motivação da ação era contra o racismo e a morte do congolês Moïse Kabagambe. Os manifestantes ocuparam a Igreja, que é considerada ponto importante de concentração do movimento pela igualdade racial na cidade e foi feita por pessoas negras. Ele pediu desculpas a instituição e a mesma aceitou, além de informar que considera a pauta de manifestação do vereador legítima, alegando ter aceitado o pedido de Freitas por qualquer inconveniente causado no episódio e ser contrária à perda do mandato.

Renato Freitas estava no primeiro mandato — Foto: Divulgação/CMC

Leia também: Tribunal de Justiça suspende sessão que poderia cassar o mandato do Vereador Renato Freitas

A vereadora Carol Dartora (PT), em seu voto contrário à cassação, falou sobre a fake news que motivou o processo e que o mesmo integrante da Casa, responsável pela informação falsa, perdeu o cargo por difamação.

“Ficará marcado na história o que esse momento representa. Não deixaremos de expor a perseguição que o povo preto e pobre sofre ao ocupar os espaços de poder. Essa violência se dá às mais de cinco mil pessoas que sentiram que nesse mandato tinham voz, que seriam representadas. Eram as pessoas oprimidas que apostaram e votaram numa candidatura sem dinheiro e sem cacife político”, disse Dartora. 

Em nenhuma das duas sessões o vereador Renato Freitas ou sua defesa esteve presente na Câmara Municipal de Curitiba

Segue abaixo relação de vereadores que votaram a favor da cassação

  • Alexandre Leprevost (Solidariedade)  
  • Amália Tortato (Novo)  
  • Beto Moraes (PSD) 
  • Denian Couto (Pode)  
  • Ezequias Barros (PMB)  
  • Flávia Francischini (União)  
  • Hernani (PSB)  
  • Indiara Barbosa (Novo)  
  • João da 5 Irmãos (União)  
  • Jornalista Márcio Barros (PSD)  
  • Leonidas Dias (Solidariedade)  
  • Marcelo Fachinello (PSC)  
  • Mauro Bobato (Pode)  
  • Mauro Ignácio (União)  
  • Noemia Rocha (MDB)  
  • Nori Seto (PP)  
  • Oscalino do Povo (PP)  
  • Sabino Picolo (União)  
  • Sargento Tânia Guerreiro(União)  
  • Serginho do Posto (União)  
  • Sidnei Toaldo (Patriota)  
  • Tico Kuzma (Pros)  
  • Tito Zeglin (PDT)  
  • Toninho da Farmácia (União) 
  • Zezinho Sabará (União)
APOIO-SITE-PICPAY

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.