PM que responde pelo homicídio de Claudia Silva Ferreira é preso por chefiar milícia na Zona Norte do Rio

APOIE O NOTÍCIA PRETA

O sargento Zaqueu de Jesus Pereira Bueno, réu pelo homicídio de Claudia Silva Ferreira foi preso na última terça-feira (08), acusado de ser um dos mandantes de dois homicídios cometidos, em junho passado, pela milícia que domina a favela do Quitungo, na Zona Norte do Rio.

O policial é um dos agentes que respondem pela morte de Claudia da Silva Ferreira. Seis anos se passaram e nenhum dos policiais acusados do homicídio de Claudia, arrastada por uma viatura da PM, foi julgado ou punido. Em 2014 a auxiliar de serviços gerais foi baleada com dois tiros enquanto ia comprar pão para a família. Seu corpo foi jogado no porta-malas de uma viatura da PM, a porta abriu, e a mulher de 38 anos ficou pendurada pela roupa no para-choque. Ela foi arrastada por 300 metros.

Segundo a denúncia do Ministério Público que culminou na decretação da prisão, o sargento Bueno “seria a maior liderança da milícia na comunidade do Quitungo, sendo o responsável por coordenar e ordenar os atos praticados na comunidade”.

O sargento Zaqueu (ao centro, apontando o fuzil) na reprodução simulada da morte de Claudia Foto: Fábio Guimarães em 03-04-2014 / Agência O GLOBO

De acordo com a investigação da Delegacia de Homicídios (DH) que resultou na denúncia, o sargento foi um dos mandantes dos assassinatos seguidos de ocultação de cadáver de Jhonatan Batista Vilas Boas Alves e José Mário Alves da Trindade no último dia 26 de junho. Segundo a polícia, os homicídios aconteceram numa festa por conta de um racha na milícia: as vítimas não teriam concordado em se aliar com a facção do tráfico que domina a favela de Vigário Geral e a Cidade Alta, vizinhas ao Quitungo. Além do sargento, também teve a prisão decretada como mandante dos assassinatos Álvaro Malaquias Santa Rosa, o Peixão, chefe do tráfico das duas favelas.

O sargento Bueno, que respondia pelo homicídio de Cláudia em liberdade, está na Unidade Prisional da corporação, em Niterói.

APOIO-SITE-PICPAY

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e com especialização em audiovisual pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, assessora de imprensa e idealizadora do portal Notícia Preta, um site de jornalismo colaborativo. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.