Pandemia levou 100 milhões de crianças à pobreza, afirma Unicef

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Um levantamento realizado pelo Fundo das Nações Unidas para infância e Adolescência (Unicef) mostrou que a pandemia de Covid-19 levou cerca de 100 milhões de crianças a viver na linha da pobreza, o que representa um aumento de 10% desde 2019. A Unicef classificou a pandemia como “a pior crise para as crianças nos 75 anos de história” da agência.

Segundo Henrietta Fore, diretora executiva da Entidade, “Enquanto o número de crianças famintas, fora da escola, que sofrem abusos, vivendo na pobreza ou forçadas ao casamento está aumentando, o número de crianças com acesso a cuidados de saúde, vacinas, alimentação suficiente e serviços essenciais está diminuindo. Em um ano em que deveríamos estar olhando para a frente, estamos retrocedendo”, declarou.

O Unicef também declarou que anos de avanço nas políticas públicas voltadas para as crianças e adolescentes estão ameaçados e, de acordo com a entidade, serão necessários sete ou oito anos para que volte aos patamares anteriores à pandemia.

Leia também: Supremo estende até março proibição de despejos na pandemia

O relatório mostra ainda que, somente em 2020, cerca de 23 milhões de crianças perderam algum tipo de vacinação devido a pandemia, quase 4 milhões de crianças a mais, em comparação com 2019, e o maior número dentro de 11 anos de estudos.

Saúde mental

O relatório também mostrou que 13% das crianças e adolescentes, entre 10 e 19 anos, tiveram algum tipo de distúrbio mental em todo o mundo. Ainda de acordo com o estudo, em outubro de 2020, 93% dos países tiveram serviços essenciais interrompidos ou suspensos.

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.