OMS investiga novo caso de ebola na República Democrática do Congo

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Um novo caso de ebola está sendo investigado na República democrática do Congo pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e autoridades locais. O Ministério da Saúde congolês informou na última sexta-feira (08) que um menino de três anos que foi hospitalizado com a doença morreu no dia 6 de outubro. Deste então, cerca de 100 pessoas que podem ter sido expostas ao vírus foram identificadas e estão sendo monitoradas.

O Ebola é uma zoonose que possui como sintomas febre alta, dor de cabeça muito forte, fraqueza muscular, dor de garganta e nas articulações e calafrios. Metade dos pacientes infectados morrem.

A criança que veio a óbito na República Democrática do Congo, morava na região de Butsili, na província de Kivu do Norte. Em comunicado, a diretora regional da OMS na África, Matshidiso Moeti, afirmou que o fato de o local já ter sido atingido por outros surtos no últimos anos, “criou uma experiência local e de conscientização da comunidade, abrindo caminho para uma resposta rápida”.

Guiné confirma primeiro caso de morte com vírus Marburg, semelhante ao Ebola, na África

República Democrática do Congo
OMS investiga novo caso de ebola na República Democrática do Congo (Arquivo, 2018) Foto: Goran Tomasevic / REUTERS

Butsili fica perto de Beni, uma cidade que foi um dos epicentros de um dos surtos mais mortais do vírus, entre os anos de 2018 e 2020. Conforme a OMS, não é incomum que casos esporádicos ocorram após um grande surto, “mas é muito cedo para dizer se este está caso relacionado aos anteriores”.

Um relatório sobre a ocorrência apontou que três vizinhos da criança também apresentaram sintomas de ebola no mês passado e faleceram. Ao contrário do menino, porém, não foram testados para a doença.

A República Democrática do Congo já registrou 12 surtos de ebola desde que uma equipe de pesquisadores belgas descobriu o vírus, em 1976. A última ocorrência foi em maio de 2021.

Fonte: Agências de Notícias

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.