Mais de 29 milhões de brasileiros perderam o auxílio emergencial, revela pesquisa

APOIE O NOTÍCIA PRETA

O auxílio emergencia vai atingir um número menor de brasileiros neste ano. Mais de 29 milhões de pessoas ficaram de fora da nova rodada do benefício. O número é 70% maior do que o previsto inicialmente pelo governo federal, 17 milhões, e foram divulgados pelo movimento Renda Básica que Queremos, a partir de dados divulgados pelo Ministério da Cidadania.

43% dos trabalhadores que receberam as parcelas em 2020 (68 milhões) tiveram a ajuda cortada neste ano. Segundo a pesquisa, o benefício vai atingir um número menor este ano: serão 39 milhões de pessoas.

Para 2021, os valores também foram reduzidos. Agora são três faixas: R$ 150, R$ 250 e R$ 375.

O benefício social foi responsável por injetar na economia R$ 294 bilhões. Uma pesquisa feita pelo Datafolha em agosto do ano passado apontou que a compra de alimentos era o principal gasto dos que receberam ao menos uma parcela do auxílio. Atualmente, a taxa de desemprego no Brasil gira em torno de 14,5%, de acordo com cálculos feitos pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, realizada pelo IBGE.

Auxílio para o grupo de maio está liberado

A Caixa liberou nesta semana o saque da primeira parcela do auxílio emergencial para trabalhadores nascidos em maio. O dinheiro já foi pago em 15 de abril, mas até hoje só podia ser usado para compras, pagamentos e transferências, por meio de conta digital no aplicativo Caixa Tem. Os valores variam de R$ 150 a R$ 375, dependendo da família.

O pagamento das quatro parcelas previstas da ajuda federal é feito de acordo com o mês de nascimento dos beneficiários. A partir de 16 de maio, o governo deve depositar a segunda rodada do auxílio para trabalhadores informais e inscritos no Bolsa Família.

Fonte: UOL

APOIO-SITE-PICPAY

2 Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.