Jean Pyerre, do Grêmio, relata racismo antes da fama: “segurança me seguia; hoje em dia, me oferecem ajuda”

APOIE O NOTÍCIA PRETA
Foto: Reprodução SporTV

Por Gabriel Ferreira

Jean Pyerre é uma das revelações do futebol brasileiro nos últimos anos. E, além de demonstrar um bom repertório dentro das quatro linhas, o meio-campista do Grêmio mostra ter também uma consciência racial aflorada.

Nesta segunda-feira (07), o gaúcho de 22 anos esteve entre os convidados do “Bem, Amigos”, do Sportv. No programa, o atleta comentou sobre a relevância do posicionamento de pessoas públicas no combate ao racismo e falou sobre a luta contra esse problema na sociedade não ser exclusiva das pessoas negras. “Quanto mais nós, que somos pessoas públicas, nos posicionarmos perante a isso, porque, além de tudo, a gente é exemplo para muitas crianças. (…) Essa luta, esse momento que a gente tem para conscientizar todo mundo do quão importante, não só o negro e posicionar, mas também as pessoas brancas nos ajudar. Isso é uma situação que a gente tem que mudar”, comentou o camisa 10 do tricolor gaúcho.

Antes e depois

Em outro momento de sua participação, Jean Pyerre relatou uma diferença de tratamento das pessoas com ele desde que subiu para o time profissional. “Muda um pouco o tratamento. Se antes de subir para o profissional eu fosse em algum mercado, tinha segurança me seguindo; hoje em dia, eles perguntam se eu quero ajuda, se eu quero algo. Acho que as pessoas não precisam esperar nós, negros, atingirmos uma posição favorecida na sociedade para tratar a gente de maneira decente, como seres humanos normais”, afirmou.

O discurso do atleta gerou aplausos de integrantes da bancada do programa e milhares de mensagens nas redes sociais, principalmente de gremistas, demonstrando orgulho do atleta e o parabenizaram pela posição.

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.