Justiça autoriza reabertura de investigação no caso da facada em Bolsonaro

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Por 3 votos a 1, os desembargadores do Tribunal Regional Federal 1 (TRF-1) derrubaram a liminar que impedia a reabertura das investigações contra Adélio Bispo, acusado pela facada ao então candidato Jair Bolsonaro, em 2018.

Foto: Agence France-Press

Os magistrados entenderam que as alegações da OAB não tinham fundamentos e não interferiam no sigilo profissional do advogado Zanone Manuel de Oliveira Júnior, advogado de Adélio. Com isso, pode se dar prosseguimento nas análises dos documentos que estão em posse da Polícia Federal e imagens de segurança, e outras apreensões. 

A segunda turma do TRF-1 derrubou a liminar que determinava sigilo em documentos e informações de Oliveira Júnior. A confidência estava imposta desde 2019 a pedido da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), devido a quebra de informações violar o sigilo profissional do advogado e que ele não era investigado pela tentativa de homicídio. O pedido foi acatado pelo TRF-1 através do desembargador relator do processo, Néviton Guedes. 

Leia também: Governo proíbe demissão de trabalhador não vacinado contra covid-19

Segundo afirmação do advogado da família Bolsonaro, Frederick Wassef, em entrevista coletiva, o Tribunal Regional Federal, reabrirá o processo para que seja dada continuidade nas investigações e vista a possibilidade de envolvimento de terceiros, pois Adélio não teria condições de pagamento dos honorários da defesa. “Isso certamente acarretará no desdobramento de novas investigações e eventualmente até abertura de novos inquéritos policiais para se chegar a autoria de quem encomendou a morte de Jair Bolsonaro”, confirmou Wassef.

A Polícia Federal finalizou duas investigações e foram concluídas em ambas, que Adélio Bispo agiu sozinho, ou seja, sem interferências de terceiros.

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.