Estudantes protestam contra ação truculenta de seguranças da PUC Minas contra homem negro

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Estudantes protestaram contra uma abordagem truculenta de seguranças da PUC Minas, na noite da última segunda-feira (11), no Campus Coração Eucarístico, na região Noroeste de Belo Horizonte (MG). A denúncia dos jovens é que o segurança agiu de forma agressiva contra o jovem que era suspeito de furto na região.

Estudantes protestaram contra a ação truculenta dos seguranças – Foto: Divulgação/PUC Minas

Em um vídeo publicado nas redes sociais, mesmo depois de imobilizado no chão, um dos seguranças ajoelha nas costas de Samuel da Silva Fonseca, de 21 anos, pressionando seu corpo contra o chão. O rapaz grita, pedindo para soltar o braço dele. Algumas pessoas passam pelo local e ignoram a situação. Um outro segurança, de blusa azul, chuta Samuel, imobilizado e no chão. O mesmo segurança que o agrediu ordena que ele fique calado. Pouco tempo depois de levar o chute na região do abdome, um outro segurança passa e pisa na mão esquerda do jovem.

Leia também: “Por que você não volta para a África?”, relata Natália Deodato do BBB 22 sobre frases racistas que já ouviu na vida 

Gabriel Luna, estudante de pedagogia da PUC Minas, disse que a ação truculenta dos seguranças não é justificável ou defensável. “Isso, para nós, evidencia um despreparo muito grande da segurança da PUC, que deveria guardar o patrimônio e cuidar da segurança dos estudantes. Nada justifica a violência, sobretudo quando é de parte da segurança, dessa forma tão brutal. A universidade é comunitária, tem dever e compromisso com a comunidade acadêmica e comunidade externa. Por ser uma universidade católica, que defende as bases humanistas, a gente ficou assustado de ver o posicionamento da universidade sobre o ocorrido”, afirmou em entrevista ao G1.

Segundo o boletim de ocorrência, o jovem de 21 anos cortou alguns objetos das mangueiras dos hidrantes do espaço com um estilete e revenderia em um ferro-velho, no Centro da Capital. Em nota, a PUC Minas disse que lamenta o ocorrido, “mas cabe à Universidade zelar pela proteção de seus equipamentos de prevenção e, em especial, pela segurança da comunidade universitária“, disse.

Os alunos em protesto pedem que a instituição puna os seguranças envolvidos e que disponibilizem um treinamento com ação humana para os colaboradores do Centro Universitário.

APOIO-SITE-PICPAY

Igor Rocha

Igor Rocha é jornalista, nascido e criado no Cantinho do Céu, com ampla experiência em assessoria de comunicação e escritor nas horas vagas. Editor e coordenador regional do Notícia Preta

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.