Idosa é encontrada em situação análoga à escravidão no Rio

APOIE O NOTÍCIA PRETA


Uma idosa de 74 anos foi resgatada pela polícia, na última terça-feira (13), no Rio de Janeiro. Maria das Graças de Sousa Rodrigues vivia em condições sub-humanas numa casa em Guaratiba, Zona Oeste carioca, de onde saia apenas para levar o lixo, segundo ela própria afirmou. A idosa ainda dividia espaço com 40 cachorros e 20 pombos.

Segundo a Polícia, a dona da casa onde Maria das Graças foi encontrada, vai responder por cárcere privado, redução a condição análoga à escravidão e maus tratos a animais. Maria só foi encontrada porque uma sobrinha que a procurava pediu ajuda a uma vizinha para saber sobre a tia. Ela estava muita magra e debilitada, usando roupas sujas e velhas.

Em janeiro deste ano, outra idosa foi resgatada em condições semelhantes, no bairro da Abolição. Ela trabalhou por 41 anos como trabalhadora doméstica sem registro em carteira, direto a salario e férias. Segundo os agentes de Órgãos Federais na Operação Resgate, na ocasião, até o auxílio emergencial havia sido sacado e confiscado pela patroa.

situação análoga à escravidão
Polícia resgata idosa em Guaratiba e dona da casa pode responder por cárcere privado

Leia também: População negra é a que mais sofre os impactos da falta de Direitos Humanos, diz pesquisadora

A força-tarefa reúne a Polícia Federal, o Ministério Público do Trabalho (MPT), a Subsecretaria de Inspeção do Trabalho (SIT), o Ministério Público Federal (MPF) e a Defensoria Pública da União (DPU). Segundo a Operação Tarefa da Operação Resgate, 942 pessoas foram resgatadas no Brasil no ano passado. A maior parte dos casos foi registrada nos estados da Bahia, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pará, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rondônia, Rio Grande do Sul, São Paulo e Tocantins.

O MPF afirma que o principal número de ocorrências é no trabalho rural. Porém, há uma tendência de aumento em situações de trabalho doméstico. As denúncias de trabalho escravo podem ser feitas no Disque 100. Os dados dos denunciantes serão mantidos em sigilo.

APOIO-SITE-PICPAY

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.