Gregory Bush é condenado à prisão perpetua por duplo assassinato com motivação racista

APOIE O NOTÍCIA PRETA
Gregory chegando ao julgamento I Foto: Sam Upshaw Jr./Courier Journal

Nesta quinta-feira (24), um tribunal federal dos Estados Unidos condenou Gregory Bush, de 53 anos, à prisão perpétua por duplo assassinato com motivação racista. O caso ocorreu em outubro de 2018. Bush atirou em dois clientes afro-americanos em uma loja em Kentucky, subúrbio de Louisville. O condenado também trocou tiros com uma pessoa do lado de fora da loja.

“Ele foi condenado por seu ataque atroz e racista a três negros, nos quais atirou por causa da cor da pele”, disse Kristen Clarke, alta autoridade de direitos civis do Departamento de Justiça americano. “Atos de violência racista não podem ser tolerados em nosso país hoje”, acrescentou Clarke em comunicado.

Leia também: Estudante negro é obrigado a entrar em armário cheio de cascas de banana

Em 24 de outubro de 2018, Gregory Bush foi armado à uma mercearia no subúrbio de Louisville, em Jeffersontown. No local, seguiu Maurice Stallard, um homem negro de 69 anos que não conhecia, e atirou em sua cabeça.

Ao sair da loja encontrou Vickie Lee Jones, uma mulher negra de 67 anos que também não conhecia, no estacionamento e atirou nela. Por fim, apontou a arma para outro homem negro, mas esse também estava armado e atirou primeiro.

Gregory Bush confrontou um homem branco, também armado, e disse: “Não atire e eu não atiro: brancos não atiram em brancos”.

Os tribunais demoram algumas semanas para acusá-lo por motivação racista, o que causou frustração na cidade, mesmo ele tendo confessado o crime.

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.