Ex-goleiro Aranha é o novo colunista de esportes do UOL

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Em seu texto de estreia, ele critica a estrutura racista do futebol

O ex-goleiro Aranha sofreu racismo na Arena do Grêmio, em 2014 – Foto: Divulgação

Por Gabriel Ferreira

O ex-goleiro Mário Lúcio Duarte Costa, mais conhecido como Aranha, é o novo colunista de esportes do UOL. Nesta sexta-feira (24), o ex-atleta fez sua estreia no portal com o texto “No futebol racista, ter os genes certos pode fazer a diferença”.

Revelado pela Ponte Preta, onde atuou de 1997 a 2009, e com passagens por Atlético-MG, Santos, Palmeiras, Joinville e Avaí, último clube do ex-goleiro, em 2018, Aranha escreveu uma crítica à estrutura racista do futebol, retomando a história do esporte para explicá-la. “No Brasil e na Europa, existe uma resistência a goleiros negros, assim como a treinadores negros. Para entender melhor, é preciso olhar para atrás, no início do futebol”, citou. 

“Vindo da Inglaterra, trazido por Charles Miller, em 1895, para uma elite branca, o futebol seria um esporte nobre, praticado pela alta sociedade. A escravidão tinha acabado (no papel) apenas sete anos antes, em 1888, e a maioria dos negros não sabia ler. Eles eram vistos como primitivos, incapazes, entre outras coisas”, completou. 

Aranha e o racismo 
Em 2014, Aranha foi vítima de ofensas racistas. Na época, o ex-jogador atuava no Santos e, durante uma partida da Copa do Brasil, na Arena do Grêmio, contra o time da casa, foi chamado de “macaco”. O Grêmio foi expulso da competição e quatro torcedores foram indiciados. Porém, ao retornar ao Estádio para enfrentar novamente o tricolor no mesmo ano, Aranha foi vaiado durante toda a partida. O ex-goleiro falou sobre o acontecido no final do jogo. “É triste porque mostra que eles concordam com tudo o que aconteceu”.

Em entrevista ao canal SporTV no último mês, o ex-atleta citou que, após falar sobre isso, passou “a ser o encrenqueiro”. Segundo ele, os times que o contratam sabem que toda vez que acontecer alguma coisa ele terá que falar e estará com a camisa do clube. “Nem todo diretor está disposto a abraçar isso”, afirmou.

O atleta já chegou a criticar quem acredita que “falar de um problema é a causa dele”. “Como dizia Abdias do Nascimento, até hoje muita gente acredita que falar sobre racismo é o que causa ele. Isso é uma tremenda burrice”, disse o goleiro em entrevista ao Jornal O Dia, em julho de 2019. 

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.