Em meio a crise do coronavírus Governo corta 158 mil Bolsas Família, 61% são do nordeste a regiãocom maior população negra do Brasil

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Nem mesmo a pandemia do Covid-19 impediu que o Ministério da Cidadania retirasse 158 mil de famílias carentes do programa Bolsa Família. Os benefícios foram cortados no mês de março, 61% deles eram pagos à famílias da região Nordeste do país, onde estão concentrados o mairo percentual dos negros do Brasil, segundo o “Mapa da Distribuição Espacial da População, segundo a cor ou raça – Pretos e Pardos”, do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Não por acaso, em janeiro deste ano, apenas 3% das famílias que ingressaram no programa eram do Nordeste.


O número de beneficiários do Bolsa Família no Brasil na era Bolsonaro é o menor desde maio de 2017, quando o programa teve o maior corte da de sua história e 543 mil bolsas foram retiradas.

Em nota enviada ao portal UOL, o Ministério da Cidadania explicou que a redução ocorreu porque novas 185 mil famílias ingressaram no programa, mas 330 mil “se emanciparam” por apresentarem evolução nas condições financeiras, “ou seja, superaram as condições necessárias para a manutenção do benefício”.

Mesmo o governo afirmando que milhares de famílias ‘se emanciparam’ e não necessitam mais do beneficio, vale ressaltar que a extrema pobreza subiu no Brasil e já soma 13,5 milhões de pessoas sobrevivendo com até 145 reais mensais. O número de miseráveis vem crescendo desde 2015, invertendo a curva descendente da miséria dos anos anteriores. De 2014 para cá 4,5 milhões de pessoas caíram para a extrema pobreza, passando a viver em condições miseráveis. O contingente é recorde em sete anos da série histórica do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A alta do desemprego, os programas sociais mais enxutos e a falta de reajuste de subvenções como o Bolsa Família aumentam o fosso do mais pobres. O indicador de pobreza do Bolsa Família, por exemplo, é de 89 reais, abaixo do parâmetro de 145 reais utilizado pelo Banco Mundial.

O Bolsa Família atende famílias que vivem em situação de extrema pobreza, com renda per capita de até R$ 89 mensais, e de pobreza, com renda entre R$ 89,01 e R$ 178 mensais. Se a renda per capita for maior do que isso, a família é retirada do programa.

APOIO-SITE-PICPAY

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, fundadora e CEO do portal Notícia Preta e podcaster do Canal Futura. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.