Coronavírus: Especialista dá dicas de proteção para quem precisa sair para trabalhar

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Apesar de estarmos vivendo em estado de emergência por causa da rápida expansão do Coronavírus e dos constantes pedido para evitar circular pelas ruas, ainda é possível ver pessoas saindo de casa para ir trabalhar. Grande parte desses trabalhadores moram em regiões com problemas de saneamento básico, quando tem, e em regiões com grande aglomeração de pessoas.

Na tentativa de evitar que a COVID-19 se alastre mais e atinja, principalmente, a camada mais carente da população, conversamos com a Biomédica Karina Vellozo em busca de dicas do que pode ser feito. Segundo a especialista, se a pessoa não está doente, não há a necessidade de usar máscara, mesmo se for andar em transporte público.

“A indicação da máscara é para quem está contaminado e precisa entrar em contato com outras pessoas. Outro ponto é o tipo de máscara, essa mais comum é descartável, não pode ser reutilizada. Se a pessoa transpirar, por exemplo, também precisa colocar outra, porque afeta a proteção dela. O ideal é usar a máscara N95, que tem filtro. Essa não é descartável, mas é preciso tomar cuidado para não danificá-la”, explica a especialista.

Quem trabalha em lugares onde há pessoas infectadas precisa usar luvas e também tomar cuidado para não dividir copos, talheres nem outros objetos.

“É importante lembrar que a contaminação acontece quando se entra em contato com a gotícula de alguém infectado com o vírus, mas esse contato precisa acontecer dentro de um determinado tempo. E a única maneira dele entrar no corpo é pela boca, nariz ou machucado. Por isso é tão importante evitar levar a mão a essas regiões”, pontua Karina Vellozo.

Sobre higienização, a Biomédica ressalta que o álcool 70% é para ser usado quando não há  a possibilidade se usar água e sabão. Não há a necessidade de aliar os dois métodos de limpeza:

“Água e sabão são suficientes para a higienizar as mãos e a casa também. Não precisa mais do que isso. Agora, se você está na rua e precisa limpar as mãos, aí é necessário ter o álcool por perto. Quem trabalha com uniforme, o ideal é que não o leve para casa. Se puder, lave-o e deixe secar no local de trabalho, porque o vírus pode ficar na roupa e você acaba o levando para dentro de casa ou mesmo se contaminando”.

No mais, é proteger o organismo também de dentro para fora, para fortalecer a imunidade.

“Alimentação é um fator fundamental neste processo de fazer com o que nosso organismos esteja preparado para reagir ao vírus. O recomendado é comer bastante frutas e legumes, evitar açúcar, carboidrato e beber água, muita água”, diz a biomédica Karina Vellozo.

APOIO-SITE-PICPAY

Lídia Michelle Azevedo

Formada em Comunicação Social - Jornalismo pela UFRJ, em 2009, já passou pelas redações do Jornal dos Sports, Assessoria de Imprensa do IBDD (Instituto Brasileiro dos Direitos da Pessoa com Deficiencia) Revista Ferroviária, Expresso, Extra, Canal A e atualmente está na assessoria de comunicação da Fundação Cecierj.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.