‘É só ir no banco e fazer empréstimo’, debocha Bolsonaro sobre o fim do auxílio emergencial

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Aos quase 39 milhões de beneficiários do Auxílio Emergencial, que chega ao fim no próximo mês, o presidente Jair Bolsonaro disse para fazerem empréstimos em bancos. “Como é endividamento por parte do governo, quem quer mais é só ir no banco e fazer empréstimo”, declarou Bolsonaro durante conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada, nesta terça-feira (01).

O auxílio emergencial é pago temporariamente a desempregados, trabalhadores informais e pessoas com baixa renda e tem valor mensal entre R$ 150 e R$ 375. Segundo o dado mais recente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), de abril, 68% dos brasileiros estão endividados e 24% estão inadimplentes.

Bolsonaro também criticou medidas de contenção ao contágio da covid, como restrições à circulação e a atividades não essenciais.

Leia também: 95 mil vidas poderiam ter sido salvas se governo Bolsonaro não tivesse ignorado ofertas de vacinas, diz pesquisador

Sabemos da situação difícil da população que perdeu empregos, que não foi por culpa do presidente. Eu não obriguei ninguém a ficar em casa, não fechei o comércio, em consequência, eu não destruí empregos“, disse. “Quem fez isso daí foi de forma irresponsável, porque não existe qualquer comprovação científica de que o lockdown evita você se contaminar. Pode atrasar você se contaminar, mas você vai ficar fazendo lockdown até quando?

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa de desemprego no Brasil bateu recorde no país e atingiu 14,7% no primeiro trimestre deste ano, a maior desde que se começou o registro em 2012. 

O presidente criticou também o fechamento de escolas durante os períodos de surto de covid e afirmou: “Temos que encarar o vírus.” Desde março de 2020, 462,1 mil brasileiros morreram em decorrência da doença e, até hoje, o país imunizou com duas doses de vacina apenas 13,8% da população. A CPI da Covid, no Senado, revelou que Bolsonaro recusou onze ofertas de vacinas de duas fabricantes que queriam fazer do Brasil vitrine da vacinação.

APOIO-SITE-PICPAY

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e com especialização em audiovisual pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, assessora de imprensa e idealizadora do portal Notícia Preta, um site de jornalismo colaborativo. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.