Depois de não prorrogar auxílio emergencial, Paulo Guedes diz que “discutirá a pobreza na campanha eleitoral”

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Em um evento sobre governança de estatais, realizado em Brasília, nesta quarta-feira (1), o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que sugeriu ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que a pobreza fosse discutida na campanha eleitoral do próximo ano.

Foto: Fernanda Capelli

O ministro sugeriu que a venda de ativos federais sejam voltados para um fundo de combate à pobreza, que repassaria uma parte para pessoas mais vulneráveis. “Tem um negócio chamado fundo de erradicação da pobreza, sem dinheiro, sem gasolina. Enche o tanque do fundo, vende alguns ativos aqui e enche o tanque do fundo“, afirmou o ministro.

Leia também: Taxa de desemprego cai para 12,6%, mas 13,5 milhões de brasileiros ainda estão desocupados, segundo IBGE

Guedes disse ainda que os temas serão abordados na campanha de 2020, com um novo olhar. “Durante a campanha, vamos trabalhar esses temas. Como erradicar a pobreza, reduzir o endividamento e as taxas de juros, transformar o capital público“, comenta.

Pacote de maldades

No início do ano, em meio á pandemia, o Ministro Paulo Guedes permitiu o retorno do programa que permitia que as empresas cortassem salários dos funcionários, jornadas ou suspendessem os contratos de trabalho, precarizando as relações de trabalho.

APOIO-SITE-PICPAY

3 Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.