Duas crianças são vítimas de comentários racistas em rede social

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Duas crianças, de 2 e 9 anos, foram vítimas de racismo na rede social. Na última terça-feira (03), a psicóloga Roberta Massot postou uma foto das duas filhas de 2 e 9 anos e foi alvo de ataques por uma seguidora.

Print da Conversa entre as duas no Instagram – Foto: reprodução

Uma mulher, identificada como Érica, respondeu aos Stories, dizendo que as crianças têm o cabelo “duro” e que a mãe deveria levá-las no salão. Mesmo a mãe explicando que não existe cabelo duro, e sim crespo, e pedido para ela se informar sobre o assunto, a mulher insistiu. Com o argumento de que é a sua opinião, a mulher se viu no direito de atacar as crianças por conta da textura do cabelo. “Se está nas redes sociais eu falo o que eu quiser e o comentário foi sobre cabelos”, argumenta. Não satisfeita com as agressões, a mulher fala para a psicóloga levar as filhas ao salão e aproveitar para tirar meleca delas. “Suas filhas são feias, melequentas e raiz de cabelo ruim e tá acabado”, escreveu.

Revoltada com o racismo sofrido por suas filhas, Roberta fez um desabafo nas redes sociais, relatando o caso e reforçando a importância de se falar sobre o racismo. “O principal objetivo de falar sobre o que aconteceu hoje é para que as minhas filhas não sofram o que eu sofri, ou que pelo menos elas saibam se defender quando acontecer alguma violência racial contra elas”, disse.  

A mulher ainda tenta argumentar dizendo que tem livre arbítrio – Foto: Reprodução

A psicóloga, no primeiro momento, até pensou em não fazer o boletim, pois ficou em estado de choque com a situação, mas depois que a ficha caiu, chegou à conclusão que ir atrás de justiça seria o correto a ser feito. “Quero contar para as minhas filhas que eu lutei por elas e quero que elas tenham isso como exemplo, de não terem medo de denunciar e levantarem a bandeira. Foi isso que me motivou, esse amor, essa força de mãe. Não só por nós pretos, mas pelas minhas pequenas”, conta.

A mãe das crianças irá registrar um boletim de ocorrência na próxima quinta-feira (05), juntamente com sua advogada, na 72 DP de São Gonçalo.  

O racismo se repete

Há uma semana, um garoto de 3 anos foi alvo de racismo também via internet onde foi chamado de “macaco” e “deformado”. A família da criança registrou um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, que solicitará a quebra de sigilo das mensagens recebidas para identificar os responsáveis.

APOIO-SITE-PICPAY

Fernanda De Souza

Graduada em jornalismo pela Centro Universitário Uni-BH, com 7 anos de experiência com Monitoramento de Notícia (Clipping Eletrônico). Atuação na elaboração de análises quantitativas e qualitativas que atende as necessidades da assessoria de comunicação.Vivência com produção e reportagem para revista, na área cultural.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.