Coca-Cola, Facebook, P&G, e outras 45 empresas integram coalizão contra o racismo do Fórum Econômico Mundial

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Visando combater o racismo no local de trabalho, um grupo de 48 organizações lançou, se reuniu e criou uma coalizão. O anúncio foi feito durante a versão online do Fórum Econômico Mundial, que terminou nesta terça-feira (26), durante a agenda de Davos 2021, na Suíça. Entre as signatárias estão Facebook, Google, H&M, IKEA, LinkedIn, Mastercard, Microsoft, Nestlé, Paypal, PepsiCo, The Coca Cola Company e UPS.

Juntas estas empresas empregam mais de 5 milhões de pessoas em todo mundo e atuam em 13 setores diferentes em vários países.

Não há empresas brasileiras na lista. Para fazer parte da iniciativa, as postulantes precisam cumprir três etapas: colocar a equidade racial e étinica na agenda do conselho, fazer ao menos um compromisso com a justiça racial e étnica, e implementar uma estratégia de longo prazo para se tornar uma organização antirracista.

O ponto de partida da coalizão será combater o racismo. “Com apenas 1% das empresas listadas pela Fortune 500 sendo lideradas por executivos-chefes negros, a necessidade de combater a sub-representação racial nos negócios é urgente e óbvia”, afirmou Saadia Zahidi, diretora-gerente do Fórum Econômico Mundial. “Para projetar locais de trabalho racial e etnicamente justos, as empresas devem enfrentar o racismo em um nível sistêmico, abordando não apenas a mecânica estrutural e social de suas próprias organizações, mas também o papel que desempenham em suas comunidades e na economia em geral“.

O texto do Fórum que anuncia a iniciativa menciona que houve apenas 15 CEOs negros ao longo dos 62 anos de existência da lista das 500 maiores empresas da Fortune. Atualmente, apenas 1% dos CEOs são negros.

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.