Cervejaria artesanal estampa foto de uma mulher escravizada em rótulo

APOIE O NOTÍCIA PRETA
A cervejaria alega que o rótulo tem muitos anos e nunca havia avisado estranhamento – Foto: Reprodução Internet

A cervejaria Dogma foi acusada, nesta sexta-feira (26), de racismo. O rótulo da cerveja artesanal Cafuza traz a imagem de uma mulher escravizada, feita em 1869, pelo alemão Alberto Henschel.

Na última semana, a jornalista Thayse Lopes entrou em contato com a empresa questionando a utilização da imagem de uma mulher escravizada na embalagem de uma das cervejas. “Fui alertada por um amigo sommelier de cerveja, que está na Alemanha. A minha primeira reação foi procurar de onde era a cervejaria e pedir um posicionamento deles e fazer uma denúncia através do meu stories”, relata Thayse.

De acordo com ela, a cervejaria respondeu ao questionamento, alegando que o rótulo foi desenvolvido há muitos anos, porém, no início desse ano a cerveja foi retirada do catálogo fixo e seu último lote produzido foi em janeiro deste ano.  

Mesmo após responder a jornalista, a empresa não retirou o rótulo da cerveja, que estava como destaque na página inicial do site.

Imagem da conversa entre a Jornalista e a marca – Foto: Thayse Lopes

A Branquitude em ação
Nesta sexta feira (26), a denúncia tomou grande proporção nas redes sociais após ser denunciada pela artista Marina Amaral. Há alguns anos, ela participou de um projeto que restaurou e colorizou a foto em questão. “Vocês se lembram dessa foto tirada pelo Alberto Henschel que eu restaurei e colorizei? Pois é, alguém achou que seria uma boa ideia transformar o rosto dessa mulher escravizada, violentada, explorada e subjugada em imagem ilustrativa de lata de cerveja”, escreveu Marina em sua rede social.
“É triste ver que a empresa só se posicionou, retirando a foto do site, após uma mulher branca, com vários seguidores, vir a público e fazer o mesmo questionamento que fiz há uma semana atrás. Enquanto só eu falei, não fizeram questão de se retratar e retirar o rótulo do site”, lamentou.  

A cervejaria publicou nota lamentando o ocorrido e retirou o rótulo do site – Foto: Reprodução Facebook

Marcas e Racismo
O ato da Dogmas tem destaque uma semana após a Bombril relançar a marca Krespinha.
Para Thayse Lopes, o racismo está sendo naturalizado pelas empresas, pois não veem problema em agir assim. “Eles não veem os negros como pessoas.  Se fosse uma pessoa branca em situação de escravidão, seria um absurdo, mas enquanto é uma pessoa negra, eles não estão nem ai”, desabafou.
Após muita cobrança nas redes sociais, a empresa se manifestou por meio de nota dizendo lamentar profundamente o uso da figura de uma mulher “escrava” na embalagem de sua cerveja.
Lançada no mercado em 2014, a cerveja Cafuza é descrita pela empresa Dogma como uma Imperial Black Ipa que reflete a miscigenação brasileira em sua receita, assim como os cafuzos resultaram da mistura entre índios e negros.

APOIO-SITE-PICPAY

Fernanda De Souza

Graduada em jornalismo pela Centro Universitário Uni-BH, com 7 anos de experiência com Monitoramento de Notícia (Clipping Eletrônico). Atuação na elaboração de análises quantitativas e qualitativas que atende as necessidades da assessoria de comunicação.Vivência com produção e reportagem para revista, na área cultural.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.