Baianas desenvolvem capacete de ciclismo para cabelos afro

APOIE O NOTÍCIA PRETA
O Forblacks, nome do capacete, tem design afrofuturista, com uma viseira magnética

A dificuldade de encontrar capacete que caibam em pessoas com dread, tranças e que não amassem o cabelo levou um grupo de empreendedoras baianas a criarem um capacete produzido especialmente para pessoas negras.

O Forblacks, nome dado ao capacete, tem design afrofuturista, com uma viseira magnética, e formato maior, com uma abertura no topo, garantindo a geometria adequada e evidenciando o cabelo afro.

Lívia Suarez, do La Frida Bikes, empresa responsável pelo projeto conta que a ideia do capacete focou cinco pontos principais: Formato adequado, segurança, proteção do cabelo, estilo e identidade.

“Observamos que todos os produtos de bike, sejam roupas ou acessórios, são pensados para pessoas brancas, de cabelos lisos, e magras. E esse era um dos fatores que fazia as pessoas negras não usarem capacete. Ele não é adequado”, contou a empreendedora em entrevista ao jornal Folha de São Paulo.

O cuidado com a saúde dos cabelos também foi uma preocupação na hora de confeccionar a peça: “A espuma do interior dos capacetes simplesmente destrói nossos cabelos”. A solução foi revesti-lo com esponja Nudred, uma espuma especial utilizada para enrolar e cuidar de cabelos crespos.

Em junho deste ano o protótipo foi apresentado pela primeira vez Velocity, evento que reúne a indústria e organizações ligadas à bike do mundo todo, em Dublin, na Irlanda.

O desenvolvimento do Forblacks foi todo feito no Brasil, por uma equipe 100% negra e baiana. “Nossa ideia é produzir tudo aqui, do nosso jeito, seguindo nossas ideias”. Durante o desenho do produto, a equipe percebeu que os padrões da ABNT para capacetes de ciclismo não contemplam geometrias para pessoas negras e enviaram à entidade sugestões, testes e provas para pedir a aprovação do projeto, que está sob análise.

As realizadoras do capacete buscam agora parcerias parcerias para ampliar a distribuição no Brasil e no mundo. A La Frida Bikes funciona como um espaço feminista em Salvador que pensa soluções para a inclusão de pessoas negras e periféricas na mobilidade em bicicleta. Um dos projetos de destaque das profissionais é o “Preta, Vem de Bike”, que ensina a mulheres negras noções básicas de pedalada e mecânica, já atendeu 400 mulheres, se expandiu para o Recôncavo baiano e São Paulo, e foi premiado pelo Frida The Young Feminist Fund como um dos projetos sociais de maior impacto do mundo.

O Forblacks, tem design afrofuturista, com uma viseira magnética
APOIO-SITE-PICPAY

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.