“As pessoas que ditam as regras são brancas”, afirma o comentarista de arbitragem Paulo César Oliveira

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Na última segunda feira (17), o comentarista de arbitragem participou do programa Seleção SporTV e falou sobre o racismo no futebol.

O ex-arbitro e, agora, comentarista criticou a atuação da arbitragem no caso envolvendo o atacante Marega – Foto: Reprodução SporTV

O ex-árbitro e comentarista criticou a maneira que dirigentes e árbitros estão tratando os casos de discriminação que vem acontecendo nos estádios. “Normalmente os cargos de chefia, as pessoas que ditam as regras, que fazem regulamentos, são brancas. Os brancos, dificilmente, passam por situações como essa”, afirma Paulo César.

O que diz a Fifa

O Código Disciplinar da Fifa dá ao árbitro o poder de suspender ou encerrar uma partida de futebol e atribuir a derrota ao time infrator. Sobre o episódio com o jogador Marega, Paulo César ressalta que a arbitragem tem uma responsabilidade muito grande, porque ela não seguiu os passos que a Fifa determinou. “Enquanto as entidades não assumirem efetivamente e combaterem não só no papel e nas regras, mas de uma maneira eficaz, essa situação não vai mudar”, comenta.

Marega reprova a atuação da torcida antes de deixar o gramado – Foto: Miguel Riopa

Paulo César relata que já perdeu as contas de quantas vezes foi parado em uma abordagem policial. “Quase toda semana sou abordado pela polícia, e já fui abordado de maneira ostensiva, os policiais com arma em punho, talvez não aceitam e acham estranho um negro dirigindo um bom carro. Quando me conhecem nem pedem o documento do carro. Muitas vezes sou abordado por um policial negro”, relatou.

Ainda segundo Paulo César, tudo que vem acontecendo no futebol é reflexo da sociedade, “da população carcerária, que tem a sua maior parte negra; do desemprego, que na população negra é maior; o salário do negro é menor. São poucos negros ocupando cargos de chefia em várias instituições. Isso é uma dívida muito antiga, desde o processo de colonização, que a gente vive esse problema. Só que agora está chegando num ponto que a gente pode ter situações mais graves se os dirigentes não tomarem as devidas providências” finalizou.

Entenda o caso

No último domingo (16), na partida valida pelo Campeonato Português, o jogador malinês Moussa Marega, da equipe do Porto, recebeu ataques racistas por parte da torcida do time do Vitória de Guimarães. E equipe do Porto vencia a partida por 2 a 1 e o atacante decidiu deixar o campo ainda durante o jogo.

APOIO-SITE-PICPAY

Fernanda De Souza

Graduada em jornalismo pela Centro Universitário Uni-BH, com 7 anos de experiência com Monitoramento de Notícia (Clipping Eletrônico). Atuação na elaboração de análises quantitativas e qualitativas que atende as necessidades da assessoria de comunicação.Vivência com produção e reportagem para revista, na área cultural.

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.