Apagão Amapá: Justiça determina pagamento de auxílio emergencial para famílias carentes dos municípios atingidos

APOIE O NOTÍCIA PRETA

A Justiça Federal determinou que a União viabilize, em 10 dias, o pagamento de auxílio emergencial por dois meses no valor de R$ 600 para famílias carentes dos municípios atingidos pelo apagão.

“O racionamento tem uma previsão até o transformador de Laranjal do Jari ser colocado na subestação. A gente tem aí uma previsão por volta do dia 26. A gente tem o transformador, que está sendo transportado, para ser colocado. Mas também tem a contratação de energia termoelétrica. Ou seja, são questões adicionais que foram colocadas para que tenha o suprimento de energia e confiabilidade do sistema”, diz Marcos Pereira, presidente da Companhia de Eletricidade do Amapá.

Mais de dez municípios do Amapá estão sem luz há mais de 10 dias devido a um incêndio em uma subestação. A empresa LMTE (Linhas de Macapá Transmissora de Energia),informou que um transformador foi desmontado no sul do estado e está a caminho da capital. As peças do equipamento, que pesa mais de 100 toneladas, vão ser levadas por balsas e por caminhões de Laranja do Jari até Macapá.

A viagem deve durar, pelo menos, dois dias. Só então, o transformador vai começar a ser remontado. Quando ele estiver pronto para funcionar, a subestação vai voltar a ter a capacidade que tinha antes do incêndio.

Relatórios do governo federal indicam que os órgãos que fiscalizam o setor elétrico sabiam da condição dos equipamentos e dos riscos de um apagão no Amapá.

Um dos três transformadores, que deveria ser acionado em caso de pane nos outros dois, está em manutenção desde o ano passado. Aneel e o Ministério de Minas e Energia foram informados que instalação operava no limite.

APOIO-SITE-PICPAY

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e com especialização em audiovisual pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, assessora de imprensa e idealizadora do portal Notícia Preta, um site de jornalismo colaborativo. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.