“Um erro gravíssimo não pode justificar a falta de cuidado com os parceiros. Errei feio”, assume Celso Athayde após críticas sobre patrocínio do Carrefour ao prêmio da Cufa

APOIE O NOTÍCIA PRETA

O empresário Celso Athayde, fundador da Central Única das Favelas, usou suas redes sociais nesta segunda-feira (11) para se desculpar e explicar o fato de ter o Carrefour como patrocinador Master da Premiação do Prêmio Pretos Empreendedores.

O assunto gerou polêmica nas redes sociais pois alguns jurados e nomeados disseram não saberem do evento e que desconheciam o fato do Carrefour ser o patrocinador master da ação. A marca é dona no supermercado onde seguranças assassinaram João Alberto em novembro do ano passado. Personalidades que tiveram seus nomes envolvidos no prêmio usaram suas redes sociais para dizer que não aceitariam a premiação.

Em seu Facebook, Athayde se desculpou por ter errado e disse não ter agido por ‘má fé’:

O erro só seria ainda pior se fosse algo escondido, se as pessoas descobrissem que determinados apoiadores estavam presentes sem suas marcas expostas para enganar. Mas não, no próprio domingo, dois dias depois desse pedido de apoio, nós estávamos montando as artes para subir para as redes, e site etc. E assim foi feito, enviamos com as logomarcas. Mas reconheço que o ponto não é esse. Eu afirmo que deveria mandar muito antes e se não havia tempo, então cancelasse, mas nunca seguir como foi feito. O fato é que isso não diminui em nada a gravidade do erro. Mas, ao menos mostra que não foi má fé, mas pura incompetência. No mesmo domingo à tarde, ao ser questionado por membros da equipe, percebi o erro e sua gravidade“, escreveu.

Os internautas apoiaram positivamente a postura de fundador da Cufa: “Ninguém é perfeito. Profissionalismo é isso, reconhecer os erros e buscar os acertos, reconhecendo que uma obra dessa monta nao se faz sozinho e assim reconhecer os parceiros“, publicou um seguidor. “A cada dia que passa aprendo com esse ser humano, e essa nota mostra para todos nós o verdadeiro significado da palavra humildade“, comentou outro.

Leia o posicionamento de Athayde na íntegra:

Com relação ao cancelamento da Premiação do Prêmio Pretos Empreendedores anunciado nesta segunda-feira, dia 11 de janeiro, eu, Celso Athayde, depois de tantos anos de ações, faço questão de vir aqui publicamente reconhecer e me desculpar junto aos premiados, parceiros, colaboradores, membros do júri e participantes e explicar alguns pontos importantes.Este evento de reconhecimento às iniciativas de impacto realizado por pretos e pretas está sendo estruturado há dois anos e seria realizado em 2020, quando nos deparamos com a pandemia global causada pela COVID 19. Decidimos retomá-lo em setembro e, até este último final semana, não contávamos com o apoio de nenhuma empresa para a realização das duas primeiras etapas conforme o conhecimento de todos.Para a realização da premiação, neste final de semana, entrei em contato com diversas empresas para angariar apoio para a realização da premiação aos selecionados e para a etapa final do evento e o meu grande erro, aliás o meu erro grosseiro e absurdo, foi não atualizar todos os envolvidos da presença desses parceiros e submetê-los ao crivo de absolutamente todos os envolvidos. Qualquer atitude diferente desta correria o risco de ser interpretada como má fé e não como ansiedade de produção. O fato é que um erro gravíssimo não pode justificar a falta de cuidado com os parceiros. Errei feio. O erro só seria ainda pior se fosse algo escondido, se as pessoas descobrissem que determinados apoiadores estavam presentes sem suas marcas expostas para enganar. Mas não, no próprio domingo, dois dias depois desse pedido de apoio, nós estávamos montando as artes para subir para as redes, e site etc. E assim foi feito, enviamos com as logomarcas. Mas reconheço que o ponto não é esse. Eu afirmo que deveria mandar muito antes e se não havia tempo, então cancelasse, mas nunca seguir como foi feito. O fato é que isso não diminui em nada a gravidade do erro. Mas, ao menos mostra que não foi má fé, mas pura incompetência. No mesmo domingo à tarde, ao ser questionado por membros da equipe, percebi o erro e sua gravidade e, além disso, estávamos em paralelo refletindo sobre fazer ou não todos os eventos da organização por conta do aumento da pandemia. Então, foi decidido cancelar todos eles e não correr o risco de ser responsabilizado por eventuais problemas de saúde das pessoas. Decidimos cancelar todas as ações e em particular retomar o prêmio em outra oportunidade, caso tivesse sentido com outros parceiros mais adiante. Depois de passado pelo crivo de todos.Desta forma, fica aqui, para todos os envolvidos, o meu sincero pedido reiterado de desculpas pelo erro cometido. Reitero também a importância de ter mais atenção a pontos tão sensíveis e me coloco aqui para me redimir e fico à disposição do julgamento de cada um de vocês.Celso Athayde

APOIO-SITE-PICPAY

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e com especialização em audiovisual pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, assessora de imprensa e idealizadora do portal Notícia Preta, um site de jornalismo colaborativo. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

2 Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.