UFPE avalia se candidatos cotistas são realmente pardos ou negros

Os estudantes que ingressarem pelo sistema de cotas na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) em 2019 serão avaliados por uma comissão composta por três membros titulares e suplentes, entre docentes, técnicos administrativos e alunos da universidade. O objetivo da avaliação é garantir que os candidatos são realmente negros ou pardos e com isso impedir fraudes no sistema de cotas.

A decisão da UFPE foi publicada na semana passada no edital de matrícula dos candidatos a serem selecionados no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) 2019, para os cursos de graduação presenciais dos campus Recife, Caruaru e Vitória.

As matrículas serão realizadas nos dias 31 de janeiro, 1º e 4 de fevereiro de 2019. Para mais informações sobre o edital e as regras mais específicas para comprovação de cotas de pessoas com deficiência (PCD) e cotas étnico-raciais (L2, L6, L10 e L14), acesse o site da Pró-Reitoria para Assuntos Acadêmicos (Proacad), no menu Sisu.

A principal mudança é na comprovação das cotas étnico-raciais. O candidato autodeclarado negro (preto ou pardo) – tanto aquele selecionado na chamada regular quanto o convocado da lista de espera – passará pela Comissão de Validação da Autodeclaração, diante da qual preencherá e assinará a autodeclaração.

Em abril deste ano, a universidade havia instituído uma comissão provisória para apurar possíveis fraudes no sistema de cotas raciais e econômicas para ingresso na instituição. Pelo menos 17 denúncias haviam sido registradas. A Coordenação do Corpo Discente da Proacad confirmou a existência de vínculo de matrícula de estudantes em 11 casos. Dessas denúncias, 10 diziam respeito a pessoas que teriam se inscrito nas cotas como negros e são de outras raças. O outro caso era referente à comprovação da renda familiar.

No mês passado a Universidade Federal da Bahia (Ufba) criou uma comissão para averiguar se o candidato pode realmente concorrer pelo sistema de cotas ou não. Novidade na graduação, essa medida já vinha sendo adotada pela universidade em concursos públicos.

No caso das pessoas com deficiência, a UFPE exigirá exigida apresentação de exames específicos sobre a deficiência dos candidatos selecionados na chamada regular, além dos convocados da lista de espera, de modo a qualificar essas especificidades. A documentação, que será avaliada pela Comissão do Sisudef-UFPE, deverá ser entregue exclusivamente no campus Recife, conforme cronograma especificado no edital de matrícula.

Um levantamento feito na UFPE apontou que estudantes que ingressaram por meio das cotas têm bom desempenho na universidade. Os graduandos se formam com a performance igual à dos demais estudantes. A informação desbanca o mito de que cotistas não conseguem acompanhar os cursos por falta de preparo anterior.

Sisu

O Sistema de Seleção Unificada 2019 ficará disponível para inscrição dos estudantes de 22 a 25 de janeiro de 2019. Já as inscrições na lista de espera serão realizadas de 28 de janeiro a 4 de fevereiro de 2019. Os procedimentos devem ser feitos na página do Sisu.

Para o próximo ano letivo, a UFPE oferece 6.972 vagas no Sisu 2019, sendo 5.522 vagas no campus Recife; 1.020 vagas no Centro Acadêmico do Agreste (campus Caruaru) e 430 vagas no Centro Acadêmico de Vitória (campus Vitória de Santo Antão).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: