Salário mínimo ideal deveria ser de R$ 6.394,76 em março, afirma Dieese 

APOIE O NOTÍCIA PRETA

O salário mínimo ideal deveria ser de R$ 6.394,76 para dar conta de suprir todas as despesas de um trabalhar brasileiro e família é o que calcula o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), na estimativa referente ao mês de março. De acordo com o estudo, esse seria o pagamento mínimo para sustentar uma família de quatro pessoas no mês de março no Brasil, considerando gastos com moradia, transporte, alimentação, saúde, educação, vestuário, higiene, lazer e previdência.  

Foto: Pexels

Em relação ao aumento dos alimentos, o estudo apontou que todas as capitais enfrentaram o aumento para os alimentos em março na comparação com o mês anterior. A maior alta foi no Rio de Janeiro, com 7,65%. Já a menor foi em Salvador com 1,46%. Já no que se refere ao custo da cesta básica, São Paulo foi a capital com o maior preço: R$ 761,19.  

Leia também: Cesta básica consome mais da metade de quem ganha um salário mínimo, afirma Dieese 

O Dieese também calculou a média de horas que deveriam ser trabalhadas para que o trabalhador que ganha o salário mínimo atual pudesse adquirir os produtos da cesta básica. Conforme os cálculos, em março, seriam necessárias 119 horas e 11 minutos, praticamente meio mês. Já em fevereiro, a estimativa era de 114 horas e 11 minutos. 

Vale lembrar que, em fevereiro, a cesta básica consumiu mais da metade (56,1%) da renda de quem ganha um salário mínimo (R$ 1.212), de acordo com o Dieese. São Paulo é a capital com a cesta básica mais cara do país, custando R$ 715,65, em média, o que corresponde a 63,83% do salário mínimo líquido. Depois, aparecem Florianópolis (R$ 707,56 — 63,11%) e Rio de Janeiro (R$ 697,37 — 62,2%). O quilo do feijão subiu em todas as 17 capitais analisadas em fevereiro. O carioquinha, por exemplo, pesquisado nas capitais do Norte, Nordeste e Centro-Oeste e em Belo Horizonte e São Paulo, as altas variaram de 1,81%, em Natal e a 10,14%, em Belo Horizonte, puxadas pela baixa oferta e pela redução da área plantada. 

APOIO-SITE-PICPAY

Wellington Andrade

Jornalista formado pela FACHA (Faculdades Integradas Hélio Alonso) e pedagogo pela UERJ. Atualmente escreve para o Portal Notícia Preta e atua no segmento de assessoria de imprensa em parceria com a agência Angel Comunicação. Possui passagens por diferentes veículos como repórter, produtor e apurador, dentre eles TVs Record, SBT e Rede Vida de Televisão, além das rádios Bicuda FM, Nativa FM, Tupi AM e FM, Revista Ziriguidum Nota 10 e no portal especializado em Carnaval SRZD, do jornalista Sidney Rezende. Instagram: @reporterwellingtonandrade

2 Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.