Posse do ministro da Educação é adiada após divulgação de fraude em seu currículo

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Marcada para esta terça-feira (30), a posse do novo ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli, foi adiada. A informação foi publicada nesta segunda-feira(29) na coluna do jornalista Lauro Jardim, no jornal O Globo.

Segundo a coluna, o motivo do adiamento da cerimônia de posse de Decotelli seria o fato do novo ministro ter faudadado seu currículo, com um doutorado (na Argentina) e um pós-doutorado (na Alemanha), o que nunca existiu.

Jair Bolsonaro pediu que fosse revisto o currículo Decotelli. O órgão responsável por essa análise será a Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

A Universidade de Wüppertal, no oeste da Alemanha, confirmou que Carlos Alberto Decotelli, não obteve um certificado de pós-doutor pela instituição. No currículo disponível na plataforma Lattes do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Decotelli descreve que frequentou a universidade alemã entre 2015 e 2017 e que recebeu o certificado de pós-doutor.

Em nota enviada ao jornal O Globo, a instituição alemã explica que o ministro conduziu pesquisas na universidade por um período de três meses em 2016, mas não concluiu nenhum programa de pós-doutorado, que, na Alemanha, dura de dois a quatro anos.

“Carlos Decotelli não obteve nenhum título na nossa universidade”, afirmou a responsável pela comunicação da Bergische Universität Wüppertal (BUW), Jasmine Ait-Djoudi.

O ministro corrigiu seu currículo após o reitor da Universidade de Rosário, na Argentina, confirmar que ele não tem o título de doutor na instituição, apesar de ter estudado lá. 

APOIO-SITE-PICPAY

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, fundadora e CEO do portal Notícia Preta e podcaster do Canal Futura. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.