Porteira negra é agredida por morador no Rio Grande do Sul

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Uma agente de portaria negra, de 46 anos, foi agredida por um empresário morador de um prédio na cidade deSanta Maria, no Rio Grande do Sul, na última quinta-feira, 17. Imagens do circuito interno de segurança registraram o momento em que o homem agride a vítima, a segura pela blusa e a empurra na cadeira. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil gaúcha. 

Morador agrediu porteira negra em um prédio no RS. Foto: Reprodução do vídeo

O ataque teria acontecido porque a porteira teria autorizado a entrada de uma oficial de Justiça que tinha uma ordem de despejo para o agressor. A vítima prestou dois depoimentos à polícia e declarou que além das agressões ele proferia insultos racistas. O agressor ainda não foi identificado. 

Leia também: Homem agredido na rua acredita que ataque foi motivado por racismo e homofobia

“Eu tentei explicar para ele que é regra do condomínio, a gente não pode barrar oficial de Justiça nem polícia. Ele não estava entendendo e disse: ‘eu não quero saber de polícia na porta do meu apartamento nem oficial de Justiça’. Eu disse que não tinha como barrar”, contou. 

A funcionária, casada e mãe de um filho, trabalha há 12 anos no local e afirmou nunca ter vivido algo semelhante. De acordo com informações do UOL, a agente de portaria está abalada com a situação.  

“Ela é uma pessoa muito meiga e cumpria ordem do condomínio para deixar o oficial subir. Com o oficial, o morador não fez nada, mas para cima dela, foi para cima. Agora, ela está em choque, se mudou de endereço e se afastou do emprego com medo,”, relatou Fabiãn Lacerda, 41, amigo próximo da vítima. 

Além da ameaça e agressão, o caso é investigado como suposta injúria racial, pois o empresário teria ofendido a mulher com palavras de cunhos e tons racistas. A princípio, o empresário responde a uma investigação por injúria racial. O caso poderá se desenvolver para racismo ao longo do inquérito, dependendo das provas. Vale lembrar que no crime de injúria, a agressão atinge individualmente a dignidade da vítima, enquanto no racismo, a ofensa abrange a coletividade. 

APOIO-SITE-PICPAY

Wellington Andrade

Jornalista formado pela FACHA (Faculdades Integradas Hélio Alonso) e pedagogo pela UERJ. Atualmente escreve para o Portal Notícia Preta e atua no segmento de assessoria de imprensa em parceria com a agência Angel Comunicação. Possui passagens por diferentes veículos como repórter, produtor e apurador, dentre eles TVs Record, SBT e Rede Vida de Televisão, além das rádios Bicuda FM, Nativa FM, Tupi AM e FM, Revista Ziriguidum Nota 10 e no portal especializado em Carnaval SRZD, do jornalista Sidney Rezende. Instagram: @reporterwellingtonandrade

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.