Policial que matou Daunte Wright é denunciada por homicídio culposo, quando não há intenção de matar

APOIE O NOTÍCIA PRETA
Kim Potter é acusada de homicídio culposo – Foto: Hennepin County Sheriff’s Office via REUTERS

Na tarde desta quinta-feira (15), a promotoria do estado americano de Minnessota (Estados Unidos) acusou a policial Kim Potter de homicídio culposo, sem intenção de matar, no caso do assassinato do jovem negro Daunte Wrigth, 20 anos, no último domingo (11), no Brooklyn Center. 

A agente alega que se enganou no momento da abordagem e pensou estar usando um taser, uma arma de choque, quando, na verdade, disparou com um revólver contra o jovem. 

Demissões

Na terça-feira (13), Kim Potter e o chefe da polícia local, Tim Gannon, pediram demissão dos cargos. Daunte Wright foi abordado por estar com a documentação do veículo em situação irregular. Durante a ação, os policiais descobriram que existia um mandado de prisão contra ele. A policial Potter, então, sacou a arma de fogo em vez da arma de choque e atirou contra o jovem.

George Floyd

Há quase um ano, no dia 25 de maio de 2020, próximo ao local que Daunte Wright foi assassinado por uma policial branca, outro negro morreu em decorrência de violência policial. George Floyd foi morto após agonizar e implorar pela vida, por mais de 7 minutos, ao policial Derek Chauvin.

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.