Peça performática Cuidado Com Neguin estará em cartaz no SESC Ipiranga-SP

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Em conversa com Kelson Succi, morador do Complexo do Alemão no Rio de Janeiro, o ator-performer-dramaturgo deu detalhes sobre o projeto multiplataforma “Cuidado Com Neguin”, que entrará em cartaz nos dias 29 e 30 de agosto no SESC Ipiranga de São Paulo.

Ator, autor e diretor do Complexo do Alemão reúne em ‘Cuidado com neguin’ as vivências de um jovem ‘negro, pobre e favelado’

Notícia Preta: Como surgiu o projeto Cuidado Com Neguin?

Kelson Succi: Eu desenvolvi uma pesquisa de teatro performático chamada newpoints. Foi com essa pesquisa que eu tive a oportunidade de ir para Londres fazer uma residência artística por algum tempo. Lá eu tive muitas referências artísticas. Quando eu voltei para o Rio, eu resolvi fazer uma série de lambe-lambes – então antes de tudo, o Neguin surge como uma arte de rua. Esses lambe-lambes que foram espalhados pelas ruas do Rio eram cartazes com letras garrafais com a foto de um “Neguin meio suspeito” e uma frase de quebra de expectativas como por exemplo, “cuidado com Neguin, ele entrou para a faculdade!” ou então “cuidado com Neguin, ele pode ser seu chefe!”. A partir disso, os lambe-lambes viralizaram na internet e eu entendi a potência dessa obra.

Foi por conta dos lambe-lambes e a sua repercussão que Kelson fez a sua primeira performance intitulada “Role Bala Perdida”. Foi com ela que eu comecei a rodar a cidade do Rio de Janeiro e acabei ganhando uma pauta na Casa Rio para fazer uma peça inteira. Eu me sentei para escrever essa dramaturgia em dois dias e eu tinha uma série de performances, umas 20 ou 25 escritas, mas eu só uso 14 em cena, afirmou Succi.

A performance Cuidado Com Neguin é um texto vivo, uma dramaturgia que dialoga com diretamente com a cidade e com os fatos que ocorrem nela, isto é, está sempre mudando. Kelson conta que foi a partir disso que ele começou a rodar. “A primeira temporada lotou a Casa Rio, a segunda aconteceu no Getúlio Vargas e a terceira, fizemos um tour pela baixada para os Neguin”.

Para a estreia em São Paulo, o projeto está passando por uma renovação.

Notícia Preta: Kelson, você disse que em toda estreia do Neguin acontece uma renovação. Qual será a diferença para a estreia em São Paulo e qual a importância dessas apresentações?

Kelson Succi: A diferença da apresentação em São Paulo é que o SESC está pagando pela peça, é algo que terá recursos. Uma vez que temos dinheiro, eu me sinto enquanto artista, mais disponível para poder criar de fato uma obra como eu gostaria. O SESC comprando a peça me coloca enquanto artista preto no mesmo patamar que a galera que cria e que consegue ter dinheiro para as apresentações. Eu saio do meu início com zero reais para estar aqui de igual para igual com a galera da nata que está tendo projetos aceitos pelo SESC.

O Neguin dá um salto enorme, entrando em um novo patamar mais bonito e mais poético. Então nós teremos uma performance grandiosa que me tira do lugar de ator e me coloca no lugar que eu quero muito estar que é o lugar de artista porque eu faço uma obra grandiosa e deixo ela como uma instalação – isso tudo no palco. Então essa performance, eu acho que irá mexer muito com as pessoas colocando a arte preta no lugar que deveria estar e que é nosso por direito.

O SESC Ipiranga sediará entre os dias 29 e 30 de agosto a peça ”Cuidado com Neguin”, no Festival Dramaturgias 2.  As apresentações serão únicas e irão ocorrer às 21h, na Rua Bom Pastor, n° 822 – Ipiranga, São Paulo. Os ingressos serão vendidos a R$ 30,00 (inteira), R$ 15,00 (meia), R$ 9,00 (credencial plena). Serão 200 lugares com a classificação indicativa de 16 anos.

APOIO-SITE-PICPAY

Maysa Lima

Sul mato-grossense, graduada em Ciências Sociais. Em busca de um mestrado que modifique ainda mais o meu modo de pensar e agir. Estudante do cenário religioso e político – principalmente ao que tange as Redes Sociais. Sonhadora e amante do universo.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.