O som de Vini Khalfani: “era muito difícil uma criança negra se ver representada em vídeo”

Desde criança o cantor Vini Khalfani, demostrava interesse pela música. Ele conta que sua mãe costumava ouvir MPB, enquanto arrumava a casa e isso despertou nele o apreço por música. Vini, que  teve sua primeira experiência musical aos 10 anos, trabalhou com  diferentes ritmos, do  rock ao funk.

No ano passado, o artista carioca decidiu mostrar sua obra de maneira mais pessoal  e lançou o primeiro clipe da carreira solo, “Fé”, que contou com a colaboração do MC Menor do Chapa. A música possui uma forte influência dos Funks e Raps do início dos anos 2000. Vini diz se inspirar no RnB, no Trap  e no Funk Melody.

Vini Khalfani – Foto: Carolina Demper

Em uma entrevista para o Notícia Preta, Vini Khalfani fala sobre sua carreira:

Notícia Preta: Quando, ou como, foi que você percebeu que queria seguir a carreira de cantor?


Vini Khalfani: Ao longo da infância fui passando por muitas fases e ouvindo meio que tudo o que chegava até mim, vindo dos amigos da escola, da rua, em casa. Mas minha primeira experiência em querer mesmo fazer música foi com uns 10 anos, o rock estava muito forte no Brasil, todo dia chegava algo novo no rádio na TV, entre os colegas sempre tinha alguma novidade, então eu acabei pedindo uma guitarra para aprender a tocar. Era legal, mas logo vi que faltava alguma coisa ali, que eu não me encaixava no rock, acho que senti falta de melanina rs. Até que em algum momento o rap apareceu para mim, e ali sim, quando eu vi aqueles caras, que eram como eu, o coração bateu forte. A questão da representatividade foi muito forte, porque para uma criança negra se ver representada em vídeo era muito difícil. O discurso do Rap, principalmente o nacional, e a imagem do rap, principalmente o americano foram muito importantes para mim, no sentido de falar “você também pode chegar lá”, “o mundo também é seu”. A partir daí eu comecei a brincar de fazer rima, e escrever letras, mas daí para querer ser cantor mesmo foi um longo caminho rs.

Notícia Preta: O ambiente no qual cresceu influência suas composições?


Vini Khalfani : Eu cresci no bairro do Catete, que fica no começo da zona sul, e é colado com a Lapa no Centro do Rio. Com 10 anos eu fui estudar no Colégio Pedro II em São Cristóvão, na zona norte. Era uma escola grande, que tinha gente de todas as partes possíveis, tinha galera dá zona oeste, de Niterói, da Baixada Fluminense, e eu acabei frequentando todos esses locais, ia na casa de amigo, andava para lá e para cá pela cidade e isso me deu um caldeirão interessante de vivência. Então acho que eu tive uma adolescência com experiências bem heterogêneas e acredito que isso serviu para que o meu trabalho não tenha a cara de um lugar específico, sendo mais uma junção de toda essa vivência e experiências que eu passei e passo.

Notícia Preta: A temática negra está presente nas suas músicas?


Vini Khalfani: Eu sou um homem Preto. Isso foi apresentado e ensinado para mim de diversas formas desde quando eu era bem pequeno. Seja por meus pais ou pela vida, eu entendi o que significava ser um ‘Homem Preto’, e é muito diferente do que é ser apenas homem. Então tudo o que eu faço é influenciado por esse fato. As vezes posso abordar de forma mais leve como em Meu Pretin, em outros momentos posso pegar em aspectos mais pesados, mas não tem como fugir disso, é o que eu sou, é minha experiência, é minha vivência, portanto isso sempre vai estar presente nas minhas obras.

Louise Freire

Jornalista e apaixonada por livros. Concluiu sua graduação em 2016 e no mesmo ano estagiou em uma revista. Participou da produção de um programa da TV Brasil e trabalhou como produtora audiovisual.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: