Milton Ribeiro e Bolsonaro: os exterminadores de futuro

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Por Rozana Barroso

Desde a posse de Bolsonaro até o momento, uma frase do sociólogo Darcy Ribeiro “A crise da educação do Brasil não é uma crise, é um projeto” ecoa no meu pensamento. E semana passada, com as denúncias de um Gabinete Paralelo dentro do Ministério da Educação, essa ideia se provou mais uma vez. 

Milton Ribiero é ministro da Educação – Foto: Reprodução/MEC

Estamos há quase quatro anos lutando pela educação, pelo desenvolvimento social e por nossa própria vida sem um projeto concreto, sem sermos ouvidos pelos nossos governantes e contando apenas com a nossa força. Cansa e é triste, mas temos um futuro de potências pela frente que propositalmente este Governo quer arruinar. 

Leia também: #8M: Meninas Negras na linha de frente da luta contra o machismo

É preciso lembrar das nossas lutas nestes últimos anos. O Governo Bolsonaro tentou aprovar a PEC (186/2019), que tinha como objetivo a extinção do investimento mínimo em saúde e educação, mas não teve sucesso. E começou por aí e os ataques continuaram, mostrando que do projeto educacional o governo não queria nem saber.

Pense, que ele ainda tentou impedir o Projeto de Conectividade, que ofertaria internet gratuita para os estudantes de escolas públicas e a aprovação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB). Em todas essas batalhas o povo saiu vitorioso. Mas a história nunca acaba por aí. 

Neste último ano de Governo Bolsonaro, no qual vivemos a maior crise da educação brasileira, o Ministro da Educação, Milton Ribeiro, que deveria estar fazendo um grande esforço para reverter esse cenário, está transformando o MEC em um grande balcão de negócios a céu aberto para alimentar esquemas eleitorais do presidente. 

E mais uma vez não podemos nos calar. Precisamos de estrutura para nossas escolas, reforços de aulas para os estudantes que estão atrasados devido a pandemia e um projeto contra a evasão escolar. A educação precisa ser o pilar principal do nosso desenvolvimento e vamos lutar para que isso aconteça. 

A União Brasileira dos Estudantes Secundaristas, entidade a qual presido, já está fazendo pressão pelo afastamento de Milton Ribeiro. Não permitiremos que nosso futuro seja destruído por esquemas de corrupção e irresponsabilidade deste governo. Não vamos parar até que todos os estudantes brasileiros tenham seu direito à uma educação pública gratuita e de qualidade garantida.

Rozana Barroso, ativista da Educação e presidenta da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas

APOIO-SITE-PICPAY

2 Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.