Médicos do Congo descobrem tratamento para combater vírus Ebola

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Jean-Jacques Muyembe, diretor do Instituto Nacional de Investigações Biomédicas do Congo

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou a descoberta do primeiro tratamento eficaz contra o vírus Ebola. Diagnosticado pela primeira vez há 43 anos, o Ebola já matou mais de 14 mil pessoas, principalmente no continente africano. Segundo a OMS, desde agosto de 2018, mais de mil e novecentas pessoas morreram, somente na República Democrática do Congo, devido a uma epidemia do vírus.

Médicos congoleses, de um pequeno laboratório na cidade de Beni, descobriram dois medicamentos eficazes para o combate ao Ebola. O doutor Jean-Jacques Muyembe, diretor do Instituto Nacional de Investigações Biomédicas do Congo, comandou a descoberta. De acordo com ovirologista Daniel Mukadi, coordenador-chefe do laboratório, 800 pessoas se recuperaram com ajuda desse tratamento. Especialistas afirmam que os sobreviventes do Ebola tornam-se imunes os vírus.

Dois de quatro medicamentos utilizados pelo doutor e sua equipe em um ensaio clínico apresentaram aumento significativo nas taxas de sobrevivência. Os cientistas trabalharam num modesto laboratório em Beni, na República Democrática do Congo. Muyembe-Tamfum, que é diretor do Instituto Nacional de Pesquisa Biomédica, foi um dos primeiros a diagnosticar a doença, há mais de 40 anos. “A gente trabalha para que, em três, quatro meses, o surto termine”, afirmou, em entrevista ao Fantástico.

Especialistas acreditam que animais selvagens transmitem o vírus para humanos. A grau de contaminação é altíssimo, uma vez que o simples toque em uma superfície comprometida já é passível de transmissão.

APOIO-SITE-PICPAY

Louise Freire

Jornalista e apaixonada por livros. Concluiu sua graduação em 2016 e no mesmo ano estagiou em uma revista. Participou da produção de um programa da TV Brasil e trabalhou como produtora audiovisual.

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.