Lei das Cotas aumenta número de negros, pobres e indígenas no ensino médio

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Levantamento mostra um aumento de alunos de 19% nos últimos anos

Alunos migraram amis da escola privada para a pública depois da Lei de Cotas – Foto: Nappy.com

Criada em 2012, no primeiro ano de mandato da então presidente Dilma Rousseff, a Lei de Cotas do ensino Superior (Lei 12.711/2012) levou os alunos de escolas particulares a migrarem para o ensino médio em instituições públicas. É o que mostra um levantamento coordenado pela economista e pesquisadora da Barcelona Graduate School of Economics, na Espanha, Ursula Mello. Segundo ela, o movimento de pessoas negras, pobres e indígenas é maior do que de pessoas brancas, com poder aquisitivo mais elevado. “Havia muita preocupação de que fossem alunos ricos se mudando para a escola pública para pegar as vagas das cotas. E não é isso que o estudo mostra”, afirma a pesquisadora. 

De acordo com a pesquisa, ao longo dos anos, após a aprovação da Lei, os números aumentaram gradativamente, comparando com as mudanças de alunos antes da aprovação da Lei. Em 2013, foram 15%; em 2014, 22% e, em 2015, 34% de aumento.

Ainda segundo Ursula Mello, os alunos querem se beneficiar da lei que reserva 50% das vagas em todos os cursos de instituições federais de ensino superior para alunos que estudaram os três anos do ensino médio em escola pública. “O movimento é mais expressivo entre alunos pretos, pardos e indígenas e para os que vêm de escolas privadas de menor nível socioeconômico”, explicou. Ursula ressalta ainda que o levantamento vem confirmar o que estudiosos da Lei de Cotas já previam. “[A Lei de Cotas] Não afeta apenas a escolha de universidades pelos alunos, mas molda também suas decisões com relação a etapas anteriores da educação”, completou. 

Metodologia da Pesquisa

O estudo foi realizado utilizando dados do Censo Escolar do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) de 2008 a 2015. Analisando os estudantes do 9º ano do ensino fundamental, a pesquisadora cria um paralelo com esses mesmos alunos no ano seguinte (1º ano do ensino médio). “Ao estabelecer uma reserva de 50% das vagas para alunos que estudaram em escola pública durante todo o ensino médio, a Lei de Cotas cria um incentivo para que os jovens estudem em escola pública, então fui estudar se isso leva a uma escolha maior por esse tipo de escola. Eu observo se o aluno do 9° ano de escola privada seguiu no ensino pago ou mudou para uma escola pública”, finalizou.

APOIO-SITE-PICPAY

Igor Rocha

Igor Rocha é jornalista, nascido e criado no Cantinho do Céu, com ampla experiência em assessoria de comunicação e escritor nas horas vagas. Editor e coordenador regional do Notícia Preta

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.