Jornalista Rodrigo Bocardi é acusado de racismo após perguntar a jovem negro se ele “pegava bolinha de tênis” em clube de classe média alta de SP

APOIE O NOTÍCIA PRETA

O jornalista e apresentador Rodrigo Bocardi foi acusado de racismo na manhã desta sexta-feira (7), durante o Bom Dia São Paulo. Tudo aconteceu durante uma reportagem sobre as dificuldades que os moradores da Zona Leste da cidade enfrentam para pegar o metrô lotado pela manhã. O repórter Thiago Scheurer começa a entrevistar um jovem negro, chamado Lionel, que estava indo para um clube de classe média alta da cidade. Bocardi, que por acaso frequenta o clube, pergunta se o entrevistado “pegava bolinha de tênis”. O rapaz, que estava com o uniforme do time, afirma que é atleta de polo aquático.



O jornalista e apresentador protagonizou a cena que os internautas acusam de racismo – Crédito: Reprodução Twitter

O apresentador não demonstrou desconforto, pelo contrário parabenizou o rapaz. A pergunta não foi bem aceita pelos telespectadores que criticaram a atitude do âncora como racista. Vale lembrar que, na semana passada, Bocardi também foi acusado de machismo pela jornalista Gloria Vanique.

Com a repercussão negativa nas redes sociais, Bocardi se pronunciou e negou qualquer tipo de preconceito. Disse que agiu na inocência. “Gente, queria aproveitar a oportunidade. Não vamos fazer disso uma grande história sobre o rapaz do polo aquático. Eu fui pela camiseta dele perguntar se ele pega bolinha na maior inocência. Assim como eu jogo e sou querido por vários garotos que estão ali comigo todo dia. Existem brancos, negros, de tudo quanto é tipo”, afirmou.

O jornalista reafirmou que não houve preconceito. “Espero poder encontrar todos eles hoje, bater uma bola, quem sabe, seja onde for, na quadra que for, no clube que quiser. Não vamos terminar o dia assim. Tô falando de coração. Quem enxerga preconceito nisso não tá sendo justo”.

Ao voltar para o estúdio, o jornalista completou “não existe preconceito, não existe racismo. Quem fala e quem escreve é que é. Ele treina polo aquático, mas poderia treinar tênis em qualquer lugar”, finalizou.

APOIO-SITE-PICPAY

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e com especialização em audiovisual pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, assessora de imprensa e idealizadora do portal Notícia Preta, um site de jornalismo colaborativo. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

2 Comments

  • Racismo sim! Nada contra os rapazes que apanham as bolinhas de tênis, só que por ser Negro tem que ser apanhador de bolinhas? Um cara antigo como o Bocardi dá uma mancada dessa!

  • O Simbolo da Cruz de Jesus Cristo. A Suástica de Adolfo Hitler. “Usar dois pesos e duas medidas” O o artigo 20 da Lei nº 7.716?
    Favorece os judeus pelo seu ‘holocausto de quase 4 anos mas ignora o Holocausto dos negros de quase 400 anos? Nós os negros deveriam de ter o mesmo direito dos judeus que sofreram horrores por quase 4 anos com os nazistas marcados com o simbolo da suástica de Adolf Hitler.Nós os negros que sofreram horrores por quase 4 séculos com a escravidão brutal assassina cristã católica do período colonial escravagista português e brasileiro, marcado com o simbolo da cruz de Jesus Cristo. Que mesmo apos abolição escravatura 13 de maio de 1888. nós inda sofremos sequelas malditas e efeito colaterais ´cruéis desgraçados alem de nos não tivermos nem uma indenização ou reparações e ainda sofremos discriminação racial pelo tratamento desigual ” Se contra fato há não argumento” e porque “Usar dois pesos e duas medidas”. Sendo assim nada mais que justo e coerente punir mediante o artigo 20 da Lei nº 7.716 é claro: a apologia ao nazismo é crime .também a cruz de Jesus Cristo como crime já que foi tão perversa para nós negros afros, foi a suástica nazista foi e para os judeus. O Cristianismo é o Pai e a Mãe do Antinegrismo!? ONNQuilombo 1970 -2020 – 50 Anos.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.