História dos negros em São Paulo é contada através de visita guiada

No próximo sábado (15) o coletivo ‘Volta Negra’ realiza uma caminhada por alguns pontos da capital paulista relacionados com a vivência da população negra no Centro da cidade de São Paulo, no século XIX. Entre os locais visitados estão a Praça da Liberdade, onde homens e mulheres negras eram enforcados por lutarem pela sua liberdade, e a Igreja do Largo do Paissandu, construída pela população negra como um espaço para abrigar tradições de diferentes religiões de matriz africana junto com o catolicismo.

Coletivo Cartografia Negra relata vivência dos negros em São Paulo

Integrantes do coletivo ‘Cartografia Negra’ guiarão o passeio. O grupo criado por três jovens negros estuda há um ano, sem qualquer apoio de instituições, a história desses lugares que tiveram suas memórias apagadas da cidade.

O ponto de partida do passeio é a Ladeira da Memória, ao lado da estação do metrô Anhangabaú. O local, até o final do século XIX era um polo comercial onde vendiam-se alimentos, mas também era onde aconteciam leilões de pessoas escravizadas. No Largo da Misericórdia, onde hoje existem apenas prédios, dois monumentos importantes foram destruídos: o chafariz e a igreja da Misericórdia. Na segunda metade do século XIX o local era muito movimentado pois, ali alguns negros, conhecidos como ‘aguadeiros’, buscavam água para vender aos brancos.

Uma das raras referências à vivencia negra na capital paulista ainda de pé é a Capela de Nossa senhora dos Aflitos, no bairro da Liberdade. O local foi construído em 1779 no meio de um cemitério.

No próximo sábado o passeio histórico começa às 15h, no Largo da Memória, ao lado da estação do metrô Anhangabaú.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: