Exu, Pomba Gira, Laroyê: buscas no Google pelos termos subiu mais de 4.000% em um ano

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Em pouco menos de um ano, as buscas por termos ligados às religiões de matrizes africanas subiram mais de 4.000%. Os dados foram levantados na última semana, entre os dias 25 e 27 de abril, através do Google Trends, plataforma da empresa que mensura as pesquisas de termos.

As buscas nos últimos 12 meses cresceram exponencialmente – Foto: Notícia Preta

Somente o termo “Paulinho Exu”, em referência ao jogador da seleção brasileira de futebol que comemorou um gol homenageando Exu, chegou a atingir mais de 3.950% nos últimos 12 meses. Entre os dias 11 e 31 de julho de 2021, foi o pico de pesquisas do termo, justamente durante a disputa da Copa América 2021. 

Leia também: “Boa noite, moça. Boa noite, moço”: a macumba na Sapucaí

Em seguida, vem o termo “símbolo exu mulambo”, com 2.050%; em terceiro lugar “estamira exu”, com 1.100% de aumento nas pesquisas; e “Exu matou um pássaro ontem”, foram 350% a mais de pesquisas do termo no último ano. Este último termo, “Exu matou um pássaro ontem, com uma pedra que só jogou hoje”, é um ditado iorubá que chegou ao público em geral após ser citado pelo rapper Emicida, no documentário Amarelo – É Tudo para Ontem, sobre a obra do artista e a negritude no Brasil. 

Durante uma live do Notícia Preta, realizada na última terça-feira (26), a atriz e empreendedora Kenia Maria, lembrou que o povo de axé precisa ter cuidado com esse interesse repentino de grande parte da população. “O racismo é muito cínico. Quando a branquitude entra, e não estou falando de algumas pessoas brancas, a gente precisa prestar atenção porque é muito fácil continuar jogando rosas no mar, tacando pedra na menina que tá de preceito. E o branco brasileiro faz isso, o brasileiro é essa pessoa. Joga flores no mar, mas não deixa seu filho namorar a filha da mãe de santo”, pontua. 

Ela ressalta ainda que é salutar ter mais pessoas interessadas na cultura negra, mas, ainda assim, é preciso ter cuidado.“Essa confusão que acontece, que é muito brasileiro, é que precisamos entender como fazemos pra impedir isso. Já começou com os protestos antes do carnaval, em relação às mulheres que não sabem sambar. Para ficar na frente da bateria dos ogãs do candomblé, precisa obedecer o  tambor. O samba é sobre o xirê”, conclui. 

Regionalização

Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Rio de Janeiro foram os estados de maior consulta dos termos utilizados pelas matrizes africanas. Se forem consideradas as cidades, Bagé (RS) foi a que mais fez buscas, seguida por Porto União (SC), Itanhaém (SP), Leopoldina (MG), Piraquara (PR) e Barra do Paraí (RJ). 

As buscas por termos da Umbanda e Candomblé foram impulsionadas pelo carnaval carioca – Foto: Notícia Preta

Último mês

Nos últimos 30 dias, entre 27 de março e 28 de abril, o termo mais procurado no Google Trends foi “grande rio”, com um aumento de 3.450% no período, seguido de “exu grande rio”, com um aumento total de buscas  de 3.300% já o termo “exu é do mal”, teve 300% de aumento nos mecanismos de buscas do Google Trends.

APOIO-SITE-PICPAY

Igor Rocha

Igor Rocha é jornalista, nascido e criado no Cantinho do Céu, com ampla experiência em assessoria de comunicação e escritor nas horas vagas. Editor e coordenador regional do Notícia Preta

2 Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.