Dois homens foram indiciados por encenar o enforcamento de um homem negro em manifestação pró-Bolsonaro

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Em uma manifestação pró-Bolsonaro realizada em Porto Alegre, nesta sexta-feira (21), dois homens, um deles vestido com roupas semelhantes às usadas pelo grupo supremacista branco americano Ku Klux Klan, simularam o enforcamento de um boneco com vestes pretas.

Após o ato promovido por apoiadores do presidente da República, Jair Bolsonaro, os dois foram indiciados pela Polícia CivilSegundo a polícia, os nomes dos envolvidos não foram divulgados pela Polícia, em razão da Lei de Abuso de Autoridade.

A Polícia Civil enquadrou o caso como dolo eventual em um dos artigos da Lei do Crime Racial: “Praticar, induzir ou incitar, pelos meios de comunicação social ou por publicação de qualquer natureza, a discriminação ou preconceito de raça, por religião, etnia ou procedência nacional. Pena: reclusão de um a três anos e multa“.

Reprodução TV Globo

Um dos indiciados é o homem que vestiu a roupa, e o outro ajudou na organização do ato. Segundo a titular da Delegacia do Combate à Intolerância, Andrea Mattos, eles assumiram a participação, mas negaram que tiveram intenção racista.

“[Eles alegaram que] a cor da túnica não seria branca, que é a cor característica da Klan [a túnica era marrom]. E disseram que o manequim enforcado na árvore estava com uma roupa preta, única exclusivamente para diferenciar da cor marrom. Que a ideia central daquele manequim na verdade representaria o comunismo“, explica a delegada.

APOIO-SITE-PICPAY

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e com especialização em audiovisual pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, assessora de imprensa e idealizadora do portal Notícia Preta, um site de jornalismo colaborativo. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.