Ciclista perseguido pela PM em Goiás é obrigado a deixar o emprego e a cidade

APOIE O NOTÍCIA PRETA

O ciclista e youtuber Filipe Ferreira de Oliveira, de 28 anos, que foi violentamente abordado por policiais militares enquanto fazia manobras em um parque de Cidade Oriental, em Goiás, teve de deixar o emprego e a cidade onde morava depois de ser intimidado por outros policiais militares.  Em maio deste ano, Filipe estava produzindo um vídeo para o seu canal no Youtube quando foi abordado pelo cabo da Polícia Militar Gustavo Brandão da Silva, que chegou a apontar uma arma em direção ao jovem.

“Minha família toda teve que sair da cidade onde eu morava. Psicologicamente minha mãe ficou muito abalada com esse outro acontecimento agora no último domingo. Tive que sair do meu trabalho, o que é frustrante”, relatou Filipe em entrevista ao Portal Notícia Preta. O jovem ainda conta que nos últimos dias começou a notar que sempre quando saía de casa para pedalar observava agentes na viatura da Polícia Militar de Goiás (PM-GO). A movimentação dos policiais chegou a ser testemunhada por vizinhos do jovem que também notaram o tom de intimidação, em alguns momentos, os agentes chegavam a acenar para ele.

Por medo, e seguindo a orientação dos advogados, Filipe conseguiu filmar uma dessas aproximações em que um dos agentes confirma estar seguindo e acenando para o ciclista. “Quis gravar para registrar, caso aconteça alguma coisa comigo, para mostrar: olha só como estão sendo os meus dias. Eu não posso andar na rua porque sempre tem algum fato assim que me deixa com mais medo ainda de sair de casa”, ressaltou Filipe.

No vídeo que registra a intimidação realizada pelos PMs no último domingo (27), é possível observar o momento em que o policial militar desce da viatura com um celular e confirma que estava seguindo o jovem e havia acenado para ele “porque você estava olhando demais”, nas palavras do agente. O jovem  ainda destaca: “Quero frisar bem que não fui eu quem comecei a provocar, como eles falaram no domingo: ‘que eu estava provocando os policiais’. Eu filmei depois do que tinha acontecido (sobre ser seguido pela viatura no último final de semana), eu filmei para provar o que eu estava falando”.

A atual intimidação teria relação com a denúncia realizada por Filipe sobre a atuação dos policiais durante a abordagem feita contra o jovem em maio. O cabo da Polícia Militar Gustavo Brandão da Silva chegou a ser denunciado pelo Ministério Público pelo uso excessivo da violência excessiva. Na época, o Ministério Público (MP-GO) solicitou o afastamento do PM, o recolhimento da arma dele e o arquivamento do registro de desobediência que os policiais militares haviam lavrado contra Filipe.

“Eu não queria gravar a atitude da polícia estava gravando para o meu canal, eu estava gravando já, porque eu ainda escuto que isso é porque eu quero ficar aparecendo. Mas não está na nossa pele para saber qual é a situação”, desabafou o jovem. No vídeo de maio, vê-se o momento em que Filipe estava fazendo as manobras quando os policiais o abordaram no parque. Os agentes já desceram com a arma em punho questionando a quem pertencia a bicicleta em que o ciclista fazia as manobras e mandando que ele colocasse as mãos na cabeça.

As imagens do último domingo (27) junto ao número da placa da viatura utilizada na intimidação foi encaminhada ao Ministério Público de Goiás que em nota informou que: “ao tomar conhecimento dos relatos de Filipe Ferreira Oliveira, encaminhou ofício ao comandante do 33º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel Anderson Chrisóstomo da Silva, requerendo a apuração dos fatos, e envio de resposta informando as providências adotadas”.

Procurada, a Polícia Militar de Goiás, não se pronunciou sobre os fatos relatados até o fechamento desta matéria.

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.