Cabeleireiro de celebridades negras faz comentário racista e se desculpa dizendo que reproduziu o racismo

APOIE O NOTÍCIA PRETA

“Ser preto não me faz imune da construção racista desse país. Estou em reeducação”, foi com estas palavras que Wilson Eliodorio, cabeleireiro de famosas como Taís Araújo, Sheron Menezzes e Cris Vianna, se desculpou após ser denunciado por racismo por uma modelo que participou da campanha de uma marca de cosméticos gravada no salão do profissional, em São Paulo.

No vídeo é possível ouvir o cabeleireiro dizendo “Esse é filhote do patrão. Patrão comeu aqui e gerou isso aqui”, enquanto mexia nos cabelos da modelo Mariana Vassequi . Em seguida, ele se aproxima de outra modelo e diz: “Esse também é um cabelo brasileiro, pela ascendência étnica, mas aqui é mais comum. A gente encontra na Europa”.

“Foi triste mesmo! A gente ouviu tudo, percebeu tudo mas naquele momento por medo de sermos demitidas, por medo de acabar a diária e a gente não receber e também por se tratar de um ambiente de trabalho onde a modelo já é vista como apenas a boneca sem voz (…) eu me calei. Mas quando cheguei em casa foi um desmorono e reflexões. Por que nos calamos? E por que ninguém na hora falou nada? Não só nós, mas por que dentro de um salão com +10 pessoas, ninguém interveio?”, declarou a modelo em seu perfil no Instagram.

O cabeleireiro publicou um vídeo dizendo: “Eu erro, o fato de ser negro não me isenta do erro. Por que assim como você eu nasci nesse país racista, sofri preconceito e não aprendi que não se repete isso com um irmão. Mesmo negro e bicha preta, repeti todas as merdas que ouvi por aí, que a gente ouve pela vida a fora. Perpetuando essas piadas horrorosas. Racismo, machismo, misoginia. Eu trabalho com cachos, eu entendo o crespo. Eu ajudo mulheres a assumirem seus cabelos naturais. Tenho muita culpa e muita vergonha por ter dito o que disse. Ser preto não me faz imune da construção racista desse país. Estou em reeducação. Desculpa”.

Celebridades clientes do cabeleireiro declararam apoio ao profissional: “Você foi a primeira pessoa que me fez sentir linda! Acreditar no meu crespo, obrigada. Todos nós erramos, e o mas importante é isso reconhecer que errou pedir desculpas de verdade e seguir em frente, Deus te abençoe, fica na paz”, escreveu Cacau Protásio.

“Wilson, é compreensível toda reação e quando eu vi o vídeo fiquei estarrecida de ser você um homem experiente que convive com tantas de nós e apoia e insiste que a gente se assuma e vença o racismo. Isso é a prova da profundidade do racismo e das consequências dele. Que sua história não seja apagada com esse erro, mas que em nome dela você supere os pensamentos e falas que insistem em nos violentar. Sigo te amando e sendo grata. Por isso, essa situação contraditória também tem me feito refletir muito. Sigamos na humildade agora e sempre. Para não dar mas nenhum passo atrás”, torceu a atriz Juliana Alves.

APOIO-SITE-PICPAY

Thais Bernardes

Formada em jornalismo pelo Institut français de Presse-Université Panthéon-Assas, em Paris e pelo Institut Pratique de Journalisme (IPJ), também na França, Thais Bernardes é jornalista, fundadora e CEO do portal Notícia Preta e podcaster do Canal Futura. Antes de concluir seus estudos na Europa, Thais cursou Relações Públicas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), onde ingressou através do sistema de cotas. Após atuar como produtora no canal de TV France 2, em Paris, foi repórter no Jornal Extra, na rádio BandNewsFM e coordenadora de Comunicação da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do Rio. Em novembro de 2018 a jornalista decidiu criar o portal Notícia Preta como forma de combater, através do jornalismo, o racismo e as desigualdades sociais.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.