72% das famílias mais vulneráveis têm crianças que pularam refeições, diz estudo da Unicef

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Um estudo inédito divulgado pela Unicef aponta que 72% das famílias beneficiadas pelo Bolsa Família (programa encerrado pelo Governo Federal e substituído pelo pelo Auxílio Brasil) passaram fome durante a pandemia da Covid-19. Antes da pandemia, o número era de 54%. A pesquisa corrobora os dados do Ministério da Saúde que mostram que apenas 26% das crianças brasileiras de 2 a 9 anos fazem 3 refeições ao dia atualmente no Brasil.

O levantamento analisou os hábitos alimentares de famílias beneficiadas pelo Bolsa Família com crianças menores de 6 anos. Foram entrevistadas 1.343 pessoas responsáveis por 1.647 crianças, em 21 estados.

O estudo mostrou ainda que 35% das crianças de famílias beneficiadas pelo Bolsa Família não ingerisse a quantidade necessária de ferro para a idade, e que 46% não tenha consumido vitamina A de maneira suficiente.

Segundo Stephanie Amaral, oficial de saúde do Unicef do Brasil, “a publicação mostra que teve alto consumo de produtos ultraprocessados por crianças”, com 80% respondendo que consumiram produtos deste tipo no dia anterior.

“A qualidade da alimentação é ruim, crianças tinham ingestão inadequada de ferro e vitamina A, e a gente percebe que a insegurança é muito mais agravada, as crianças precisam da alimentação para se desenvolver plenamente, deixar de se alimentar traz impactos para o futuro”, avaliou Stephanie em entrevista à rádio CNN Brasil.

LEIA TAMBÉM: Brasil lidera ranking de produtividade agropecuária, mas 19 milhões passaram fome no país no final de 2020

A palavra-chave que explica o consumo de alimentos ultraprocessados para Stephanie, é o acesso.

Ela afirma que há o que se denomina “deserto alimentar” em comunidades menos favorecidas, que são os locais que não têm fácil acesso a alimentos in natura, como verduras, frutas e carne.

64% das famílias afirmaram morar perto de estabelecimentos de refeições prontas e 54% próximos de lojas de conveniência, enquanto o acesso a hortas perto da casa é menor, apenas em 15% dos casos.

Combate à fome

O Brasil saiu do Mapa da Fome da ONU em 2014, graças às políticas sociais implementadas pelos governos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de Dilma Rousseff.

O Programa Bolsa Família foi uma das políticas públicas que auxiliou neste processo por ser um programa de distribuição de renda que combateu a pobreza, levou o Brasil a ser reconhecido internacionalmente, foi replicado em cerca de 20 países, e tirou 36 milhões de brasileiros da miséria.

APOIE O NOTÍCIA PRETA

2 Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.