Bailarina francesa acusa companhia de dança alemã de racismo

APOIE O NOTÍCIA PRETA
Chloé Gomes é a primeira bailarina negra da Companhia – Foto: Reprodução

A primeira mulher negra a integrar a companhia Staatsballett, de Berlim, a bailarina francesa, Chloé Lopes Gomes, de 29 anos, acusou a companhia de racismo. Segundo informações do jornal The Guardian, Chloé disse que ouviu dos professores, por dois anos, que “ela não se encaixava”, devido a cor da sua pele. Ainda de acordo com o The Guardian, os instrutores obrigaram a bailarina negra a usar maquiagem branca, além de outras “piadas” públicas que Chloé era obrigada a conviver. 

Chloé contou ainda que desenvolveu crises de ansiedade depois que os episódios de racismo se tornaram mais explícitos e frequentes. Segundo ela, levou a informação dos casos de preconceito à direção da entidade, mas, até o momento, nada foi feito. 

Em resposta ao The Guardian, a Companhia Staatsballett informou que passa por um processo de reestruturação com planejamentos de workshops e revisão de suas normas internas. 

APOIO-SITE-PICPAY

Igor Rocha

Igor Rocha é jornalista, nascido e criado no Cantinho do Céu, com ampla experiência em assessoria de comunicação e escritor nas horas vagas. Editor e coordenador regional do Notícia Preta

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.