Bahia é estado com maior número de famílias retiradas do Bolsa Família nos últimos 3 meses

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Neste mês 1.826.820 famílias baianas foram beneficiárias do Programa Bolsa Família (PBF), 12.706 a menos do que em dezembro de 2020, segundo Comitê de Assistência Social do Consórcio Nordeste, entidade que reúne os gestores dos nove estados da região. A redução no período, foi a maior de todo o Brasil, numa tendência negativa que persistiu em quase todo o Nordeste.

As regiões norte e nordeste eram, proporcionalmente, as que mais tinham beneficiários e portanto dependiam bastante do valor para amenizar os impactos econômicos dos decretos de isolamento social.

Segundo dados da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social da Bahia (SJDHDS), divulgados em primeira mão pelo jornal Bahia Notícias, o comitê denuncia a retirada de 48.116 famílias nordestinas do programa de dezembro até hoje. O único estado da região a ter acréscimo de beneficiários foi Alagoas, que agregou mais 496 famílias. Os demais seguiram a situação da Bahia, com destaque para o Ceará, onde 8.639 famílias saíram do programa, e Pernambuco, onde 7.550 famílias não recebem mais o benefício.

De acordo com o setor técnico do consórcio, isso significa que R$ 30.140.318,00 deixaram de circular na região, já que o valor do benefício médio passou de R$ 193,55 para R$ 190,57.

Além do Nordeste, apenas o Norte do país teve números de perda, com o total de 13.014 famílias desassistidas.

Situação na região Norte e Nordeste

Na tentativa de amenizar a situação, governos do Norte e Nordeste criam ou alongam programas para suprir auxílio emergencial após o fim do programa do governo federal à população de baixa renda.

O Amazonas, Estado mais atingido pela segunda onda da Covid-19, decidiu não esperar por uma renovação da medida federal e lançou programa próprio. O auxílio estadual começou a ser pago nesta segunda-feira (1º) a 100 mil famílias em situação de extrema pobreza em um valor total de R$ 600, dividido em três parcelas de R$ 200.

Em janeiro, a Câmara de Vereadores de Manaus também aprovou o Auxílio Manauara, um benefício social proposto pela prefeitura para auxiliar famílias pobres. O programa vai atender cerca de 40 mil famílias de baixa renda da capital, com seis parcelas de R$ 200 —que serão pagas a partir deste mês.

No estado vizinho do Pará, o governo do estado e a prefeitura de Belém lançaram o programa de renda cidadã Bora Belém. O benefício garante um auxílio de até R$ 450 a famílias em situação de vulnerabilidade social e que tiveram as condições financeiras agravadas pela pandemia da covid-19.

Em Rondônia, os programas emergenciais foram encerrados pelo governo do estado em dezembro; mas a prefeitura de Porto Velho está entregando cestas básicas na cidade.

Fonte: Bahia Notícia e UOL

APOIO-SITE-PICPAY

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.