Aspen da África do Sul assina acordo para embalar e vender vacina J&J COVID

APOIE O NOTÍCIA PRETA

Via Reuters

Farmacêutica sul-africana Aspen Pharmacare (APNJ). J) concluiu na terça-feira um acordo com a Johnson & Johnson (JNJ.N) para embalar, vender e distribuir as vacinas COVID-19 do grupo americano sob sua própria marca na África.

Um trabalhador da farmacêutica sul-africana Aspen Pharmacare, é visto em sua instalação de vacinas Johnson & Johnson COVID-19 em Gqeberha, África do Sul, 25 de outubro de 2021. REUTERS/Siphiwe Sibeko/Foto de arquivo

Em novembro, a Aspen entrou em negociações com a J&J para um acordo de licenciamento que lhe daria liberdade para vender e distribuir a vacina sob sua própria marca. 

Leia também: África do Sul vê inflação de alimentos, oportunidade da guerra Rússia-Ucrânia

O acordo também permite que a Aspen “discuta a expansão do acordo para incluir quaisquer novas versões da substância medicamentosa, como as desenvolvidas para novas variantes ou uma formulação diferente para a administração como um impulsionador”, disse Aspen em comunicado.

Farmacêutica sul-africana Aspen Pharmacare (APNJ). J) concluiu na terça-feira um acordo com a Johnson & Johnson (JNJ.N) para embalar, vender e distribuir as vacinas COVID-19 do grupo americano sob sua própria marca na África.

Em novembro, a Aspen entrou em negociações com a J&J para um acordo de licenciamento que lhe daria liberdade para vender e distribuir a vacina sob sua própria marca. 

O acordo também permite que a Aspen “discuta a expansão do acordo para incluir quaisquer novas versões da substância medicamentosa, como as desenvolvidas para novas variantes ou uma formulação diferente para a administração como um impulsionador”, disse Aspen em comunicado.

“O que está acontecendo hoje vai dar uma contribuição significativa para transformar a produção de vacinas… na África”, disse Matshidiso Moeti, diretor regional da OMS para a África, em uma apresentação online do acordo.

Ela disse que o surgimento da variante Omicron do coronavírus, detectada pela primeira vez no sul da África, tinha focado a necessidade urgente de diversificar a fabricação de vacinas como parte dos esforços para melhorar sua disponibilidade.

APOIO-SITE-PICPAY

Wellington Andrade

Jornalista formado pela FACHA (Faculdades Integradas Hélio Alonso) e pedagogo pela UERJ. Atualmente escreve para o Portal Notícia Preta e atua no segmento de assessoria de imprensa em parceria com a agência Angel Comunicação. Possui passagens por diferentes veículos como repórter, produtor e apurador, dentre eles TVs Record, SBT e Rede Vida de Televisão, além das rádios Bicuda FM, Nativa FM, Tupi AM e FM, Revista Ziriguidum Nota 10 e no portal especializado em Carnaval SRZD, do jornalista Sidney Rezende. Instagram: @reporterwellingtonandrade

3 Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.