“As pessoas da Fifa não estão nem aí”,a firma Yayá Touré sobre racismo

APOIE O NOTÍCIA PRETA

O jogador marfinense falou, no último sábado (25), com a Agência AFP, sobre os casos de racismo no futebol. O meia, de 36 anos, enfatizou os recentes gritos de macacos contra jogadores ingleses durante a partida entre Inglaterra e Bulgária, válida pelas eliminatórias para a Eurocopa-2020, disputada em meados de outubro e vencida pela Inglaterra por 6 a 0. 

Yayá Touré foi duro com as entidades do futebol, principalmente a Fifa – Foto: Divulgação

Touré critica principalmente as entidades do futebol. “As pessoas da Fifa não estão nem aí, eles conversam, mas isso continua. Não quero dizer que não estou preocupado. Estou preocupado, isso me irrita. “Falam muito, bla-bla-bla, e o que acontece? Nada muda”, lamentou. 

Ainda segundo ele, os jogadores também precisam ter uma atitude mais firme e reagir nos casos de racismo no futebol. “Eles precisam levar esse problema a sério, os jogadores precisam tomar medidas firmes, senão os racistas vão continuar”, acredita Touré. “Os jogadores precisam abandonar o campo de jogo”, afirmou. 

Leia também: Bulgária é condenada a jogar com portões fechados após caso de racismo

Carreira

Yaya Touré é ex-meia do Barcelona e do Manchester City e atualmente está no Qingdao Huanghai, da 2ª divisão chinesa. Por quatro vezes foi eleito melhor jogador africano do ano (2011-2014). Além disso, foi campeão da Liga dos Campeões com o Barcelona e três vezes campeão da Premier League com o Manchester City.

APOIO-SITE-PICPAY

Igor Rocha

Igor Rocha é jornalista, nascido e criado no Cantinho do Céu, com ampla experiência em assessoria de comunicação e escritor nas horas vagas. Editor e coordenador regional do Notícia Preta

1 Comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.