Advogado lança vaquinha virtual para construir espaço educacional em comunidade no Rio

Criado no Jacarezinho, comunidade do Rio de Janeiro, o advogado criminalista Joel Luiz da Costa pretende realizar um sonho este ano: tirar do papel um curso de alfabetização para adultos e idosos e um pré-vestibular social. Através das redes sociais, o jurista informou já ter conseguido o espaço, mas ressaltou que precisa de ajuda para reformar o local. Para isso, lançou uma vaquinha virtual (clique aqui para contribuir), na esperança de conseguir os recursos necessários para a construção do local.

O NICA (Núcleo Independente e Comunitário de Auxílio), como o espaço deve se chamar, visa ser um local de fomento da educação no Jacarezinho. O que não impedirá que o espaço seja usado para outros fins de investimento na comunidade.

Espaço onde será o NICA

“O NICA nasceu com o objetivo de criar um curso de alfabetização para adultos e idosos, porque a minha avó era analfabeta. Eu via dentro de casa como era o rolê para ela sobreviver num mundo letrado e estar à parte desse mundo. Ela via filme e sabia que era a parte final porque não tinha número. Tanto que Nica é um jogo de palavras com o apelido da minha avó”, lembra Joel Luiz da Costa, que continua:

“Simultaneamente vai acontecer eventos vinculados à educação nos espaços. Qualquer tipo de curso e oficina que chegar para gente será bem-vindo. O local estará disponível de forma gratuita, assim como as aulas gratuitos. Todo o funcionamento será a partir de colaboração”.

A ideia de aproveitar o espaço para receber também um pré-vestibular partiu de um objetivo simples: criar pontes para quem está vindo.

“A vaquinha ajudará a custear o material, a mão de obra será voluntária. A passagem dos professores será custeada por um escritório. Estamos nos organizando para que as aulas comecem na segunda quinzena de fevereiro. O objetivo é colocar os pretinhos na faculdade, para que eles disputem narrativas, porque a gente sabe como é importante colocar alguém da favela falando pela favela”, explica o advogado.

 

Lídia Michelle Azevedo

Formada em Comunicação Social - Jornalismo pela UFRJ, em 2009, já passou pelas redações do Jornal dos Sports, Assessoria de Imprensa do IBDD (Instituto Brasileiro dos Direitos da Pessoa com Deficiencia) Revista Ferroviária, Expresso, Extra, Canal A e atualmente está na assessoria de comunicação da Fundação Cecierj.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: